Haé Kuera, Ñande Kuera: eles e nós

  –  Rap em guarani, criado em Puerto Iguazu, faz parte da programação
do Encontro da Rede Argentina de Comunicação Alternativa  –  

Encontro nacional reúne midias alternativas da Argentina em Posadas. (Foto: MisionesOnline)
Encontro nacional reúne midias alternativas da Argentina em Posadas. (Foto: MisionesOnline)

O grupo “Haé Kuera Ñande Kuera” levará o rap em idioma guarani ao 13° Encontro da Rede Nacional de Meios Alternativos, que se realizará entre os dias 12 e 14 de agosto, em Posadas, na Argentina. Os componentes do grupo são oriundos da comunidade Fortín Mbororé, situada em Puerto Iguazu (cidade argentina que compõem a região das Três Fronteiras). Eles mostrarão sua realidade através de suas canções.
A Faculdade de Humanidades e Ciências Sociais de Posadas (capital da província de Missiones), será a anfitriã do 13° Encontro da Rede Nacional de Medios Alternativos. Do Encontro participam representantes de mídias comunitárias, alternativos e populares da Argentina e outros países da América do Sul.
“Haé Kuera Ñande Kuera” foi criado em 2013, e desde então vem surpreendendo em cada lugar que se apresenta. Não só pela origem de suas vozes, senão pelas histórias que contam em cada uma das músicas. Sempre ressaltando a sua origem étnica, a maioria das canções interpretadas pelo grupo são em idioma guarani. Mas eles também cantam em espanhol e até em português.
https://www.youtube.com/watch?v=uiAwEXjf9Z0
Fazendo juz ao nome do grupo, que significa “Eles e nós”, os jovens tratam, através da música, de passar a mensagem de que “juntos somos todos”, fazendo referência à exclusão e discriminação que muitas vezes recebem por parte da população branca.
Apesar de sua curta experiência, o grupo ascende rapidamente no âmbito da música desse gênero em Puerto Iguazú e região. Talvez o que melhor explique a popularidade do “Haé Kuera” seja o fato de que sua arte transmita a essência da realidade. Está presente nas músicas a tristeza que o povo mbya guarani sente ao ver sua cultura se perdendo, assim como a constatação de que cada vez que suas terras são subtraídas, fica mais difícil de conseguir sustento na natureza.
rap guarani2O GRUPO – Juan Chamorro vive na comunidade Fortín Mbororé. Junto com amigos de sua aldeia compõe a banda “Haé Kuera Ñande Kuera”. Luis Chamorro, um dos integrantes, é neto do xamã da aldeia e é a voz contestatória do grupo; Fabián Velázquez toca violão e Hilario “Michu” Benítez é cantor. Todos tem menos de 20 anos e, além de intérpretes, também são os autores das canções que compõem o repertório de rap do grupo.
O projeto musical começou com a professora de violão, Berenice Texeira Villalba, na periferia de Puerto Iguazu, no bairro Orquídeas. “Eu coloquei uma música de um grupo brasileiro de hip hop e eles gostaram. Na mesma hora começaram a cantar, buscamos os instrumentos e sem pesar fomos formando o grupo”, conta a professora
sobre a origem dessa experiência que recupera a música como forma de visualizar a realidade em que os jovens vivem.
Leia também: Posadas será sede de Encontro da Rede Argentina de Medios Alternativos (em espanhol)
Visite a página do Haé Kuera. Clique aqui.

 


Guatá (texto traduzido e adaptado de Misiones Online)