É dia de circo

  –  Trapézio traz sensação de “voar” ao público do Gramadão. Oficinas e apresentações gratuitas. Confira  –  

 

Festival de Circo: Montagem dos equipamentos no Gramadão - Vila A. (Foto: acervo Itaipu).
Festival de Circo: Montagem dos equipamentos no Gramadão – Vila A. (Foto: acervo Itaipu).

Os fins de tarde no Gramadão da Vila A serão mais emocionantes, divertidos e musicais com a chegada do 1º Festival de Arte e Circo, que vai trazer oficinas e espetáculos circenses e show de bandas locais a Foz do Iguaçu.
Já nesta quinta-feira (29), a partir das 15h30, quem estiver no local poderá vivenciar a experiência de um trapezista e saltar de 10 metros de altura, no trapézio voador. Em outras oficinas de atividades circenses, a comunidade poderá aprender, sempre gratuitamente, acrobacias aéreas e de solo, equilíbrio e malabares.
O festival é promovido pela Itaipu Binacional, em parceria com a RPC, e vai até 28 de janeiro de 2017. As oficinas circenses começam nesta quinta-feira (29) e prosseguem, nas semanas seguintes, sempre de quarta-feira a domingo, entre 15h30 e 20h30.
Paralelamente às oficinas, todos os sábados, no mesmo período, o Gramadão receberá  espetáculos circenses e show com bandas locais.
Segundo o superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, “o Gramadão da Itaipu é um espaço destinado à cultura, ao esporte e ao lazer da comunidade”. Para ele, “as apresentações do CircoCan e das bandas locais serão um atrativo imperdível para as férias”.
 
Oficinas de circo – As oficinas terão a monitoria especializada de profissionais da Circocan, a Escola Internacional de Circo, que tem sedes em Curitiba e Florianópolis. As atividades podem ser praticadas por crianças a partir de cinco anos e adultos de todas as idades, sem necessidade de experiência.
A grande atração é o trapézio voador, uma estrutura de 10 metros de altura por 20 metros de comprimento, que permitirá às pessoas saltarem no trapézio, com a ajuda dos monitores. Esta é a única estrutura deste porte, no País, disponível ao público de forma gratuita.
“A pessoa terá toda a segurança, com linhas laterais, cabo de aço e rede embaixo”, explica o presidente da Circocan, Pedro Cruz. “Quem quiser pode tentar mais vezes, aperfeiçoar os movimentos e até fazer acrobacias”. Todas as atividades são monitoradas pela equipe especializada, composta por oito pessoas.
No chão, as pessoas poderão ter contato com outras atividades circenses: equilíbrios sobre as mãos, oficina de malabares e acrobacias áreas (no tecido e na lira) e no solo. Um mágico vai fazer intervenções de hipnose e outros truques para o público. “É como se fosse uma arena de circo com as atividades acontecendo ao mesmo tempo”, resume Pedro. A previsão é atender 200 pessoas por dia em todas as atividades.
 
Circo e bandas locais – Além das oficinas de circo, o 1º Festival de Arte e Circo traz espetáculos circenses e shows com bandas locais. As apresentações acontecem todos os sábados, a partir das 20h30, entre 7 e 28 de janeiro, no Gramadão da Vila A.
Os espetáculos de circo serão feitos com artistas do Circocan, com performances individuais e coletivas de profissionais que têm passagem por companhias e escolas de circo em várias partes do mundo..
O festival de bandas vai reunir grupos de Foz do Iguaçu e região, de diversos estilos musicais. As bandas terão a oportunidade de apresentar seu trabalho para a população com toda a estrutura de som, luz e espaço cênico.
 
Instrutores do CircoCan em oficina. (Foto ilustrativa, arquivo CircoCan)
Instrutores do CircoCan em oficina. (Foto ilustrativa, arquivo CircoCan)

Circocan – A Circocan tem 13 anos de experiências e é uma das poucas empresas do País que conta com um trapézio voador. Há quatro anos, a estrutura é montada no acampamento de verão no Camp Med-O-Lark, no estado de Maine, Estados Unidos, onde atende 300 crianças. O trapézio voador também faz parte da estrutura da escola em Florianópolis, onde é ensinada a arte do circo para cerca de 70 alunos.


 
(Itaipu Binacional)

Arquivos

Categorias

Meta