Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

A solidão, de Rodrigo Garcia Lopes

Poema publicado na revista Escrita 9.

 

a solidão sempre aparece com beijos & bombons

a solidão faz visitas regulares a seus amigos íntimos

a solidão brinca no mar com seus dedos de açúcar

a solidão vive sorrindo pra desconhecidos

a solidão ainda se emociona com filmes antigos na televisão

a solidão imagina gueixas cujos olhos são borboletas de vidro

a solidão bebe em meu corpo seu próprio desespero

a solidão adora esconde-esconde e amarelinha

a solidão coleciona diários e discos do Coltrane

a solidão usa pijamas de bolinhas e óculos quebrados

a solidão depois do sexo ainda se sente sozinha

a solidão e eu somos apenas bons amigos

a solidão corta meus pulsos com uma gilete de sal

depois sai chapada pelas ruas

com um folha de alface de lapela.

 

Rodrigo Garcia Lopes é poeta, músico, jornalista, editor e tradutor em Londrina, Pr. Texto publicado originalmente na revista Escrita nº 9.

Arquivos

Categorias

Meta