Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Antigo distrito de Foz, Alvorada do Iguaçu vive na memória dos moradores

Comunidade desapareceu após a formação do Lago de Itaipu.

Casas inteiras eram transportadas em carrocerias de caminhões. (Foto: João Luiz Thomazi (Publicada no JIE)
Denise Paro – H2FOZ

As águas do Lago de Itaipu escondem vestígios de uma comunidade que durante 13 anos fez história no Oeste do Paraná. Antigo distrito de Foz do Iguaçu, Alvorada do Iguaçu hoje está apenas na memória dos moradores. A vila começou a desaparecer em 1978 para dar lugar ao reservatório de Itaipu.

Criado em 18 de dezembro de 1965, o distrito de Alvorada do Iguaçu era uma típica comunidade de interior, com pequeno comércio, área agrícola, posto de combustível, casas de madeira, armazéns e igreja, onde chegaram a viver cerca de sete mil pessoas. Com a construção da hidrelétrica de Itaipu, os moradores tiveram de abandonar as casas, o comércio e a lavoura em busca de um outro destino e de uma outra vida.

Apesar de serem indenizados pela Itaipu, muitos se sentiram injustiçados porque o valor repassado não era justo para quem perdeu lavoura, comércio e uma parte da vida. Muitas pessoas precisaram ficar longe de parentes e amigos; alguns alvoradenses foram para o Norte do país, outros permaneceram pela região, incluindo a comunidade vizinha chamada Vila Bananal e o município de Santa Terezinha de Itaipu. Para não perder a moradias, famílias transportaram as próprias casas de madeira, em cima de caminhões, para o futuro destino.

Mesmo com revezes, a vida naquela pacata comunidade ainda povoa a memória dos antigos moradores e, aos poucos, começa a ganhar espaço nos registros históricos.

Da prainha de Santa Terezinha de Itaipu, município situado a 26 quilômetros de Foz do Iguaçu, é possível ver as marcas do que um dia foi Alvorada do Iguaçu, quando o nível do Lago de Itaipu fica baixo. Túmulos de um cemitério da comunidade são facilmente reconhecidos, como também restos de objetos pessoais. A praia de Santa Terezinha leva o nome de Terminal Turístico Alvorada do Iguaçu em homenagem à comunidade.

No ano passado, os antigos moradores de Alvorada do Iguaçu se encontraram em Santa Terezinha de Itaipu, após 39 anos. As memórias do encontro estão neste vídeo produzido por Camila Ribeiro, Daniela Cardoso e Naya Soares.

Assista ao vídeo:

Página H2Foz / Texto: Denise Paro

Arquivos

Categorias

Meta