Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba está online

Em abril, artistas de quatro países são destaque no Instagram do evento
Vídeos feitos com celular pelo artista venezuelano Kevin Lustgarten estão na mostra de videoarte. Foto: Divulgação

A primeira mostra da Bienal On-line, versão digital da Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, inicia neste mês. A programação de abril é dedicada a videoarte e conta com cinco artistas – duas brasileiras e três estrangeiros. As obras serão exibidas sempre às terças-feiras no Instagram @bienaldecuritiba.

Representando o Brasil, estão Michele Schiocchet e Lilian Döring. Michele, que trabalhou como artista e arteeducadora em Portugal, Itália, Alemanha e Inglaterra, além do Brasil, e contrapõe a experiência dos espaços alternativos à ideia de superidentificação. Já a motion designer Lilian Döring desenvolve projetos desde 1997, explorando web arte, animação 2D e 3D, arte interativa e vídeo poesia.

Ilusão é a palavra-chave dos trabalhos do venezuelano Kevin Lustgarten. O artista visual produz vídeos pelo celular e usa a edição para criar novas imagens, com o objetivo de mostrar como a criatividade e a imaginação fazem o espectador encontrar alegria nas coisas comuns. Já o iraniano RenderBurger (nome artístico de Farid Ghanbari) é diretor de arte há quase 14 anos. Seus trabalhos refletem a intensa pesquisa de inovação dentro da arte digital.

Erik Winkowski, dos Estados Unidos, elabora suas obras com colagem, recorte, desenho e mixagem de cenas cotidianas de maneiras inesperadas, utilizando técnicas pioneiras de animação para trazer a espontaneidade e vitalidade da pintura de maneira experimental.

A mostra de abril foi selecionada por Flávio Carvalho, curador de arte digital curitibano. Após exibir coletivamente em cidades como Paris, Berlim e Toronto, passou a se dedicar também à curadoria, ganhando o Prêmio Jovens Curadores por seu trabalho na Bienal Internacional de Curitiba em 2018.

Online

O formato digital dialoga com outra mostra da Bienal, realizada entre 2019 e 2021, que levou videoarte para fora do museu. Foram transmitidos vídeos em 1290 ônibus e 22 terminais de Curitiba e Região Metropolitana. A proposta era ampliar os limites da arte contemporânea para fora dos espaços tradicionais. Agora, com a edição virtual, esta proposta alcança um novo patamar, chegando ao público via computadores e celulares.

Além dos artistas destacados, a Bienal On-line terá a participação de mais gente. A curadoria do evento selecionou vídeos que estarão disponíveis nos canais da Bienal até o dia 30 de abril.

 

Do presencial para o virtual

Criada em 1993, a Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba ganhou em 2021 sua primeira versão virtual. A 14ª edição, que aconteceu em mais de 100 espaços pela cidade e atingiu um público de mais de 900 mil pessoas, trabalhou o conceito curatorial de “Fronteiras em Aberto”. Em razão da pandemia, que impossibilita os eventos presenciais, foi criada a Bienal On-line, com programação majoritariamente virtual, integrando ainda a 14 ª edição.

Iniciada em 29 de março, a versão virtual da Bienal de Curitiba terá diversas mostras, palestras, bate-papos e ações por meio das redes sociais até 31 de dezembro, toda gratuita. Mais informações, no site www.bienaldecuritiba.com.br.

 

Por CuritibadeGraça

Arquivos

Categorias

Meta