"Corredor polonês"

Lançamento

Nesta terça (12), os autores Marcelo Dallegrave, Melissa Medroni e Theo Marques vão lançar o livro “Corredor Polonês: Patife Band e a criação da obra-prima esquecida do rock brasileiro” no Gilda Bar e Restaurante na região central de São Paulo. Além da sessão de autógrafos, haverá a abertura da exposição das fotos de Theo Marques feitas para o livro. O evento começa às 19 horas! O livro estará à venda no local.

Sobre o livro:

“Corredor Polonês: Patife Band e a criação da obra-prima esquecida do rock brasileiro” traz os bastidores da gravação do álbum cultuado nos meios musicais. Construído a partir de depoimentos de Paulo Barnabé, Sidney Giovenazzi, André Fonseca, Paulo Mello, Pena Schmidt, Arrigo Barnabé, Clemente e John Ulhoa, entre outros, o livro é uma carta de amor dos autores Marcelo Dallegrave e Melissa Medroni a uma obra única na discografia do rock nacional. O livro traz ainda onze fotos de Theo Marques.

Este é o segundo título da coleção Sound+Vision, na qual autores dissecam seus álbuns favoritos, acompanhados de artistas visuais que apresentam seus olhares sobre as músicas desse mesmo álbum.

A Patif Band

A Patife Band surgiu na agitada década de 80, no circuito alternativo paulista. Seu idealizador é o compositor Paulo Barnabé, que além de irmão e parceiro de Arrigo Barnabé, tem também em seu currículo parcerias com Itamar Assunção. Depois de anos como arranjador e baterista na banda de seu irmão, Sabor de Veneno, Paulo decidiu alçar vôo próprio e o resultado foi meteórico. Em sua trajetória marginal, a Patife Band sacudiu a mesmice vigente na época e um de seus raros discos, Corredor Polonês, é considerado por muitos críticos um dos melhores álbuns do rock brasileiro da década de 80.

O primeiro disco do grupo foi o mini LP, Patife Band, lançado em 1985 pelo selo Lira Paulistana. O disco fez sucesso com uma nova interpretação de um clássico da jovem guarda, Tijolinho, de Wagner Benatti e com uma versão hard core da singela Noite Feliz de Gruber. No ano seguinte, a Patife participou da trilha sonora do Filme Cidade Oculta de Chico Botelho, com Pregador maldito, música que chegou a ser proibida para execução em rádios. Em 87, lançou pela WEA, o conhecido disco Corredor Polonês. Várias músicas deste disco foram regravadas por outros artistas como Cássia Eller e as bandas Ratos de Porão e Pato Fu. (Carta Maior)

LEIA MAIS SOBRE A PATIF BAND EM CARTA MAIOR , CLICANDO AQUI.

___________________
Assessoria e Carta Maior