De que serve a bondade

  – Um poema de Bertolt Brecht. Uma ilustração de Glauco  –   

liberdade 1979

1
De que serve a bondade
Quando os bondosos são logo abatidos,
ou são abatidos
Aqueles para quem foram bondosos?
De que serve a liberdade
Quando os livres têm que viver entre os não-livres?
De que serve a razão
Quando só a sem-razão arranja a comida de que cada um precisa?
2
Em vez de serdes só bondosos, esforçai-vos
Por criar uma situação que torne possível a bondade,
e melhor
– A faça supérflua!
Em vez de serdes só livres, esforçai-vos
Por criar uma situação que a todos liberte
E também o amor da liberdade
Faça supérfluo!
Em vez de serdes só razoáveis, esforçai-vos
Por criar uma situação que faça da sem-razão dos indivíduos
Um mau negócio!


Bertolt Brecht, escritor e dramaturgo alemão (1898-1956).
Glauco, cartunista brasileiro (1957-2010)
(A ilustração foi utilizada no cartaz do Salão Internacional de Humor de Piracicaba de 1979. Glauco esteve sempre engajado na luta por liberdades e pelo fim da ditadura militar). 

Arquivos

Categorias

Meta