Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Defensoria da União abre canal de denúncias para candidatos prejudicados no Enem

A primeira fase do exame foi marcada por aglomerações e alunos proibidos de entrar na sala de aplicação
Entrada dos candidatos para o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro(UERJ), na zona norte do Rio.

Candidatos que se sentiram prejudicados pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 terão as reclamações acolhidas pela Defensoria Pública da União (DPU). Para isso, o órgão lançou o “Observatório do Enem 2020”, no qual as denúncias devem ser realizadas por meio de preenchimento de um formulário.

Segundo a DPU, toda informação que chegar por meio do canal será registrada e catalogada para que o órgão possa planejar sua atuação coletiva.

O canal não está aberto para assuntos que não estejam relacionados ao Enem. Dúvidas pessoais também não serão respondidas, bem como solicitações de assistência jurídica, devendo ser utilizado estritamente para denúncias.

Na última segunda-feira, dia 18, a instituição pediu à Justiça Federal o adiamento do segundo dia de aplicação do exame, marcado para o próximo domingo (24).

A ação também pede que a prova seja remarcada para quem não compareceu ao exame no último domingo (17), quando o índice de abstenção atingiu o recorde de toda a história do Enem, superando o índice de 50 por cento.

O primeiro dia do Enem foi marcado por aglomerações e desrespeito às normas sanitárias para prevenir a disseminação da covid-19. Após concluírem a prova, estudantes foram às redes sociais para denunciar que o distanciamento social não foi respeitado em seus locais de prova.

Os relatos mais comuns, sobre vários locais pelo Brasil, indicam que a distância entre as mesas dos candidatos era menor do que o recomendável; não havia álcool em gel disponível na entrada de todas as salas de aula; e algumas salas sequer tinham janelas.

O Inep não se pronunciou sobre os episódios de aglomeração e descumprimento de outras medidas de prevenção à covid.

BDF

Arquivos

Categorias

Meta