Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Dengue, não!

  –  UNILA abre edital para ações de extensão no combate ao Aedes aegypti  –  

____denguezikaA Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da UNILA publicou um edital para selecionar ações extensionistas voltadas à sensibilização, prevenção e eliminação de focos dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. Odocumento prevê atividades focadas em informações sobre dengue, zika e chikungunya, doenças relacionadas ao mosquito, formas de transmissão e combate, mapeamento de locais que exigem atenção na região, realização de parcerias e atividades entre Universidade e comunidade. O edital, que é de fluxo contínuo e prevê bolsas para 35 projetos, pode ser acessado aqui.
Esta é a primeira vez que a PROEX lança um edital temático como esse. “Diante da necessidade que tínhamos de fortalecer e ampliar essas ações na comunidade e da preocupação do governo federal, em especial do Ministério da Educação, em sermos agentes de modificação de comportamentos, definimos esta proposta. Estas ações permitirão a articulação com setores da sociedade já envolvidos neste combate e um direcionamento específico quanto à atuação”, explica a pró-reitora de Extensão, Angela Maria de Souza.
De acordo com Angela, todos os reitores e pró-reitores de Extensão foram chamados à Brasília para que intensifiquem ações de combate ao mosquito. “A Universidade, como importante instituição social, tem imensa responsabilidade neste debate e na condução de atividades, em especial de estudos, de orientação e de articulação com ações específicas. Foz do Iguaçu é um município bastante úmido e quente, cercado por dois importantes rios e com muitas matas e florestas, tornando-se ambiente propício ao mosquito, vetor das doenças”, pontua.
Edital – Podem ser apresentadas propostas nas seguintes modalidades: projeto, curso ou evento. Os proponentes podem ser docentes ou técnico-administrativos da UNILA. No caso dos técnicos, para concessão de bolsa para a ação de extensão é exigida a orientação de docente.
Experiência e articulação – De acordo com a pró-reitora, não é fundamental ao proponente o conhecimento aprofundado acerca da doença e do combate. “Nesse sentido, a atuação interdisciplinar é fundamental. Este edital não é específico para a área de Saúde, Ciências Biológicas ou áreas afins. Essas áreas são determinantes, mas queremos propostas nas mais diversas linhas de atuação da extensão, como comunicação, inclusão social, direitos humanos e outras”, explica. Além disso, a própria pró-reitoria articulará com entidades, como Centro de Controle de Zoonoses, Prefeitura eRede Municipal e Estadual de Educação, para o estabelecimento de vínculos. “Iremos convidá-los ao debate e à articulação de atividades conjuntas”, completa.
Cristian Antonio Rojas, professor do curso de Ciências Biológicas da UNILA, já coordena atividades de extensão relacionadas ao combate e mapeamento do mosquito. Por conta dessa experiência, o docente será um importante articulador e orientador de ações. “A dengue e outras ‘arboviroses’ representam situações novas e complexas para resolver. Após anos de esforços, o problema não foi resolvido e, ano após ano, só aumenta. Por esse motivo, é necessário encarar o problema de forma interdisciplinar, adicionando a pesquisa como componente fundamental de fornecimento de novas abordagens e atuando diretamente com a comunidade por meio da extensão”, ressalta.
Leia, aqui: a Cultura contra o Aedes
Leia, aqui: O Aedes e o Culex
Leia, aqui: Foz terá laboratório para ajudar no combate à dengue


 
(Assessoria Unila)

Arquivos

Categorias

Meta