Duas mãos

  –  PTI e Índia oficializam parceria em supercomputadores  –

Memorando de entendimento entre as instituições foi assinado durante reunião dos BRICS

Tornar o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) referência em computação de alto desempenho, podendo dar apoio à Itaipu Binacional no domínio de tecnologias e contribuir com o desenvolvimento do território trinacional, tanto na operacionalização de supercomputadores como na expertise de projetar máquinas avançadas, é o principal objetivo do Parque quando se fala em internacionalização.
Uma parceria foi firmada, no início de abril, que marca um passo importante do Parque e oficializa a transferência de tecnologia da Índia para o Brasil. O memorando de entendimento entre o PTI e o Centro de Desenvolvimento de Computação Avançada da Índia (C-DAC) foi assinado pelos representantes técnicos de ambas instituições, durante a reunião dos BRICS (grupo de países de economias emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), na Índia.
Segundo o diretor técnico do PTI, Claudio Osako, a assinatura do documento oficializa o interesse do PTI em desenvolver projeto conjunto com a Índia de transferência de conhecimento para operar e projetar supercomputadores, utilizados em trabalhos de alto desempenho, como em usinas hidrelétricas. Com recursos na ordem de R$ 15 milhões, oriundos de um convênio do PTI e da Itaipu, o PTI poderá trabalhar no projeto durante três anos, período previsto para as fases da transferência do conhecimento e da tecnologia da computação avançada do C-DAC Índia para o Brasil.
“Iremos capacitar uma equipe do PTI formada por analistas de sistema, engenheiros de computação e engenheiros eletrônicos que irão absorver o conhecimento dos indianos para construção de um supercomputador e, a partir de determinado momento, nossa intenção será atender às demandas operacionais da Itaipu que exigem grande processamento e, ainda, atender o mercado brasileiro com a oferta de serviços de computação avançada. O C-DAC está há 28 anos pesquisando computação de alto desempenho e terá muito a nos ensinar, na parte de software e de hardware”, pontuou o diretor técnico do PTI.
A previsão, de acordo com Osako, é de que em agosto deste ano o PTI consiga inaugurar um laboratório de computação de alto desempenho para fomentar o processo de transferência de conhecimento da Índia para cá. A internacionalização, para Cláudio Osako, permite que o Parque aposte em projetos de maior visibilidade e alcance.
“Esse é o caminho, com esta parceria entre o PTI e a Índia conseguimos dar saltos de conhecimento que não imaginávamos e, o mais importante, é que a relação de confiança que construímos com os indianos não será de apenas três anos. A ideia é poder avançar com o C-DAC na América Latina, em venda e oferta de serviços de supercomputadores, o que representa ganho de mercado para o nosso território trinacional. Teremos formação de massa crítica e possibilidade de geração de empresas no setor, de startups, emprego e renda”, destacou Osako, que ressalta: “seremos um dos poucos núcleos do Brasil trabalhando com o desenvolvimento deste tipo de tecnologia”.
______________________________
Fonte: PTI

Arquivos

Categorias

Meta