Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Duas novas exposições do Ecomuseu de Itaipu são opções para o fim de semana

Panorama das Artes Visuais da Bacia do Paraná 3 e Amarelinha Digital podem ser vistas de terça a domingo, das 10h às 17h.

A arte regional dos municípios da área de abrangência da usina ganha espaço no Ecomuseu. (Fotos: Rubens Fraulini)

Uma boa opção para este fim de semana é conhecer as novas atrações do Ecomuseu da Itaipu. O espaço, que estava fechado devido às restrições da pandemia de covid-19, reabriu na última sexta-feira (4). Assim, algumas das exposições que já estavam sendo preparadas antes do fechamento, podem finalmente serem conhecidas.

A primeira delas é a exposição “Panorama das Artes Visuais da Bacia do Paraná 3” que, como explica a museóloga Tamiris Amancio, do Ecomuseu, é resultado de um trabalho realizado em conjunto com a Rede Regional de Cultura e Patrimônio da BP3. O objetivo é exibir a produção artística da região, além de abrir um espaço para a discussão sobre sua relevância econômica, social e cultural.

“Foram selecionados 69 artistas atuantes em 15 cidades do território, com produções artísticas relevantes para o cenário não só local e regional, mas que alcança patamares internacionais”, afirma Tamiris. “Ao escolhermos esses artistas e suas obras, pensamos em mostrar ao público um pouco da diversidade de linguagens e poéticas mapeadas, prestigiando a produção artística local e regional.”

A pandemia é tema na mostra de artes visuais da região

Trata-se de uma ótima oportunidade para conferir essa produção em um único local, a partir de uma variedade de técnicas e linguagens como: desenho, pintura, escultura, gravura, cerâmica, fotografia, colagem, vídeo e arte digital. A mostra também inclui artistas que transitam por linguagens hídridas, como design gráfico, animação, cinema, tatuagem e arte de rua (grafitagem).

Além disso, a exposição busca a valorização de todos os artistas, desde os mais experientes, já reconhecidos e com carreira bem estruturada, até jovens artistas que ainda não participaram de muitas exposições, mas que movimentam a cena artística local, em municípios como Cascavel, Foz do Iguaçu, Toledo, Marechal Cândido Rondon, entre outros.

Arte para brincar. É só pular sobre as peças que as imagens se alteram. (Fotos: Rubens Fraulini)

Amarelinha

Outra novidade é a Amarelinha Digital, exposição do artista Pablo Villa, que estava prevista para abrir antes da pandemia, mas que teve o seu calendário alterado. No espaço, o público pode brincar com o tradicional jogo da amarelinha, em formato de caracol e com recursos de tecnologia digital.

Na instalação audiovisual, as onze “casinhas” do jogo estão conectadas a uma tela. Ao pular sobre elas, o jogador aciona teclas da estrutura e seleciona vídeos curtos que se alternam, projetados sobre a superfície de madeira da obra, e projeta efeitos visuais na edição de imagens em vídeo. Desta forma, o público participa brincando e criando vídeos a partir de referências da fauna e flora locais. Ao final, uma mensagem de conscientização ambiental é exibida na tela.

As exposições podem ser visitas de terça a domingo, das 10h às 17h, no Ecomuseu de Itaipu. A entrada é gratuita para moradores dos municípios da região trinacional, lindeiros ao Lago de Itaipu e ao Parque Nacional do Iguaçu. Outros visitantes pagam R$ 18 pelo ingresso (meia entrada para crianças de 6 a 11 anos, maiores de 60 anos, estudantes, professores, doadores de sangue, CAD-Único e PCDs).

Mais informações: www.turismoitaipu.com.br.

Arquivos

Categorias

Meta