Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Eclipse do Sol

Fenômeno pode ser visto nesta terça (02) em Foz. Caso o céu não esteja encoberto, fenômeno poderá ser observado a partir das 16h35.

Se as condições climáticas colaborarem, moradores de Foz do Iguaçu e região fronteiriça poderão observar, nesta terça-feira (02), o eclipse solar no qual a lua vai passar entre o astro e a Terra e projetar sua sombra sobre parte do território da Argentina.

Eclipse do Sol – Quando a Terra e o Sol se alinham e a Lua está no meio dos dois ocorre um eclipse solar. Ele pode ser de três tipos: total (quando a lua encobre totalmente a luz solar), parcial (apenas uma parte da iluminação é encoberta pela Lua) e anelar, quando a distância entre os astros faz a Lua parar na frente do Sol, mas encobrindo apenas o centro, assim formando um anel de luz em torno da sombra da Lua que cobre o Sol.

Veja na animação abaixo:

Na região trinacional, o fenômeno se apresentará a partir das 16h30 e durará cerca de uma hora e dez minutos. Em Foz, cerca de 60% do eclipse poderá ser visualizado, especialmente em pontos de observação que permitam uma visão mais ampla do poente. Dois lugares interessantes são o Marco das Três Fronteiras e o Gramadão da Vila A.

Tome os cuidados necessários para ver o eclipse:

Entre os cuidados necessários para observar o eclipse parcial do sol com segurança, estão os de não olhar diretamente para a luz e utilizar filtros de materiais como polímero. Filmes de máquinas fotográficas ou chapas de raio-x não são considerados seguros.

Eclipse “Sul americano” – A observação deste fenômeno que por um breve período torna noite o dia, tem uma característica importante. O “desaparecimento” do Sol só é vísivel por quem está no caminho da umbra da Lua, a parte mais escura da sombra que dentro da qual o Sol é “escondido”. caminho da chamada umbra da Lua, ou seja, a parte mais escura da sombra de dentro da qual todo o disco do Sol é obscurecido.

Esta área não é muito grande, entre 150 quilômetros e 250 quilômetros de extensão que conseguem enxergar o fenômeno de cada vez. Apenas uma pequena porcentagem do hemisfério iluminado pela Terra é capaz de aproveitar a experiência ao vivo. Uma condição dessa ocorre em média a cada 300 anos num lugar específico.

Neste 2 de julho será o “Grande Eclipse Solar Sul-Americano”, já que o estreito caminho do eclipse se estenderá pelo Pacífico Sul, começando em La Serena, no Chile, e encerrando em Buenos Aires, Argentina. Apenas nesses 2 países a visão do eclipse será total. Ainda assim, será parcialmente visível no Uruguai, Paraguai, Equador e Brasil.

Dois observatórios em território chileno, o Interamericano, de Cerro Tololo, e o de La Silla – estão diretamente no caminho da umbra. Vão capturar o fenômeno e transmiti-lo ao vivo para todo o mundo.

Curiosidade – Em novembro de 1994, Foz do Iguaçu esteve na faixa de observação de um eclipse total do sol, fenômeno que atraiu visitantes de todo o planeta para pontos como as Cataratas do Iguaçu. (Leia a crônica de Montezuma Cruz publicada na revista Escrita, contando o fato / Fotos de Áurea Cunha)

_________________________
Guatá com RCI, Superinteressante e Exploratium

Arquivos

Categorias

Meta