Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Escola de Dança Teatro Guaíra celebra 65 anos

A instituição já formou cerca de 15 mil alunos e fez mais mil apresentações em todo o Brasil. Contabiliza em torno de 350 prêmios nacionais e internacionais e tem ex-alunos em companhias profissionais no Brasil, Estados Unidos e Europa.
A história da EDTG inclui grandes sucessos como “A Bela e Fera”, com mais de 40 mil espectadores, e “Olimpo”, coreografia criada para homenagear os jogos olímpicos. Foto: Cesar Bond

A Escola de Dança Teatro Guaíra (EDTG) celebra nesta terça-feira (6 de abril) 65 anos, sendo uma das instituições públicas de ensino de balé mais antigas do País. Já formou cerca de 15 mil alunos e fez mais mil apresentações em todo o Brasil, incluindo grandes sucessos como A Bela e Fera”, com mais de 40 mil espectadores, e Olimpo, coreografia criada para homenagear os jogos olímpicos. A comemoração este ano será virtual em função da pandemia do coronavírus.

A instituição já formou cerca de 15 mil alunos e fez mais mil apresentações em todo o Brasil. Contabiliza em torno de 350 prêmios nacionais e internacionais e tem ex-alunos em companhias profissionais no Brasil, Estados Unidos e Europa.

A EDTG foi o primeiro corpo artístico criado no Teatro Guaíra com a missão de formar bailarinos para o corpo de baile. Em sua história, contabiliza mais de 350 prêmios nacionais e internacionais e tem ex-alunos em companhias profissionais no Brasil, Estados Unidos e Europa.

Grandes nomes da dança nacional já passaram pela instituição, como as professoras Yara de Cunto, uma das fundadoras do Balé Teatro Guaíra, Ceci Chaves e Carla Reinecke, além de alunos como Daniel Camargo, indicado ao “Oscar” do balé mundial – o Prix Benois de la Danse, em 2018.

A diretora-presidente do Teatro Guaíra, Monica Rischbieter, foi aluna da EDTG nos anos 70 e ressalta o trabalho técnico e também social da escola. “Temos uma equipe de profissionais extremamente comprometidos com a formação de bailarinos de ponta, mas também de cidadãos conscientes. É um grande exemplo de como a arte gera cidadania”, diz.

Para a coordenadora da EDTG, Patrícia Otto, que também foi aluna da instituição, o foco principal é a formação de cidadãos. “Para nós o fundamental hoje é a contribuição para o cidadão do futuro. A gente sabe que nem todos os nossos alunos serão bailarinos profissionais, mas independentemente das áreas em que estiverem, eles levarão os valores e princípios éticos que aprenderam aqui”.

 

A comemoração este ano será virtual em função da pandemia do coronavírus. – Foto: Divulgação Teatro Guaíra

Na pandemia

A Escola de Dança Teatro Guaíra readequou suas atividades pedagógicas para o ambiente virtual e realizou mais de 900 aulas on-line em 2020. É uma das únicas instituições de ensino de dança a trabalhar de forma ininterrupta no País. As atividades da EDTG tiveram 28 mil visualizações nas redes sociais. Além disso, também participou de quatro festivais e competições nacionais e recebeu mais de 20 prêmios.

A história

O Curso de Danças Clássicas do Teatro Guaíra foi criado em 1956 com o objetivo de preparar bailarinos com nível técnico e artístico capazes de formar um corpo de baile para o próprio Teatro Guaíra.

Em 1957, iniciaram as atividades de estruturação do curso sob a coordenação do professor Aroldo Moraes. No fim dos anos 60, o Curso de Dança foi ampliado com a criação de 12 níveis, incluindo aulas de História da Dança e História da Música. Ao final de cada ano ocorriam apresentações no Guairinha.

Nos anos 80, o curso foi reestruturado com a inclusão de aulas de Dança Contemporânea na grade curricular, visando à futura regulamentação do curso. No mesmo ano, alunos participam das montagens de Petrushka e O Quebra-Nozes, ambas de Carlos Trincheiras, com o Balé Teatro Guaíra.

Em 1983, Carla Reinecke assume a coordenação da escola e cria o Projeto Pré-Profissional, o que levou os alunos a participar de mostras e festivais, além de circular com espetáculos pelo Paraná e estados vizinhos. Em 1997, o Projeto Dança Masculina é lançado.

Nos anos 2000, alunos da escola são levados a Nova York e contemplados com bolsas de estudo no 5th Youth American Grand Prix. Em 2006, a escola comemora 50 anos com o espetáculo Fatos e Fotos. As celebrações incluem também o lançamento do livro Escola de Dança do Teatro Guaíra 50 anos de Arte e Cidadania.

Em 2013, comemorando 30 anos do Projeto Pré-Profissional, este grupo é unido ao Grupo Juvenil que forma a Companhia Jovem Teatro Guaíra. Em 2016, a EDTG apresenta A Bela e a Fera, um dos maiores sucessos de sua história, para celebrar 60 anos de existência. Foram mais de 40 mil espectadores naquele ano.

Por AEN

Arquivos

Categorias

Meta