Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Espirais do meu espírito, poema de Neuza Pinheiro

Fotografia de Áurea Cunha

 

Panambi II, foto de Áurea Cunha

Um poema-borboleta:
latejou lá longe
fosforesce crisálida brevida
abre a letra

O poema viu a ema
e ordenou:
– vire um poema!

O poema era um mutante
foi de estralo a estrela
de estrela a instante

e foi deixando
o poema
um de profundis no mundo
sentimentos por segundo.

Neuza Pinheiro é poeta, cantora e compositora. Também é educadora na cidade de Santo André, SP. O poema, publicado na revista escrita nº 19, foi extraído do livro “Pele&Osso”.
Áurea Cunha é fotojornalista em Foz do Iguaçu, Pr. 

 

Arquivos

Categorias

Meta