Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Exício (Estatuto do status)

  –  Um poema de Tarcísio Queiroga  –  

__marionetes1

Exício

Nas molduras de hoje tudo se torna status,
Apenas um click tem de ser de imediato,
Mundo virtual paradoxo do contato,
Expor fotos do que consome:
Roupas, viagens, até seu prato.
Queiroga humildade vou bem obrigado!
Minha indignação segue o relato
Sociedade estilo ninho de rato
Cada um por si, nada sensato
Da sociedade sou só o substrato
Quem é que te suga mais?
Políticos, bancos ou sindicato?
Roma também sugava seu povo,
Com aquele lance de triunvirato!
Brasil investimento vira sonegação,
Milhões com muito pouco,
poucos cheios de milhão,
Frutos dos liberais e conservadores,
Sujos playboys e nobres senhores
Praticam o exercício do exício dos reais valores,
A essência permanece mesmo que destruam as flores.


Poesia publicada na revista Escrita 42.
Tarcisio Moreira de Queiroga Junior é  estudante de História na Unila

e compõe o grupo munsical Ouroboros Flow, em Foz do Iguaçu, Pr. 

Arquivos

Categorias

Meta