Extinção

Poema de Carlos Luz

guarani
é um romance que cai no vestibular
inspiração de música orquestrada
é lenda de branco
estátua de índio neoclássico
é pintura modernista
tema de tese acadêmica
é língua que não nasceu na Grécia
nome de logradouro público
é marca registrada
de fósforos, velas  e querosene
é time de futebol
erva-mate pra tererê
é troféu de bronze
estação de rádio
é moeda cheia de zeros

é atração turística
estampada em cartão postal
é vendedor ambulante
de badulaques
em frenta à churrascaria
cacique com cocar
de penas de galinha
tingidas de verde e amarelo
é verbete do português e do espanhol
adaptação de guerreiro
que já não existe mais.

Carlos Luz é jornalista e poeta em Foz do Iguaçu, Pr. Poema publicado na edição 3 da revista Escrita.

Arquivos

Categorias

Meta