Famílias do MST doam mais de 20 toneladas de alimentos a comunidades do Paraná

Ação faz parte da campanha “Natal da Reforma Agrária Popular”, que ocorre do dia 19 até o dia 24

Ações de solidariedade no Paraná vão até a véspera do Natal (Foto: Vanderlei Gonçalves e Ivete Sartori)

Mais um final de semana de solidariedade protagonizada por famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Paraná, com diferentes ações de doação de alimentos produzidos pela Reforma Agrária.

Produtores de Guarapuava e Pinhão, região Centro-sul do Paraná, doaram 14,5 toneladas de alimentos a mais de mil famílias em situação de vulnerabilidade, no sábado, 19. As cestas foram distribuídas em Guarapuava, nos bairros Xarquinho, Paz e Bem, Jardim das Américas, Dois Mil e Colibri.

Em Paiçandu, noroeste do Paraná, outras sete toneladas de alimentos com produtos da reforma agrária a famílias da periferia em situação de vulnerabilidade social.

Cerca de 250 famílias receberam cestas com arroz, feijão, açúcar mascavo, fubá, legumes dos mais variados, verduras, leite, pães e panetone. As doações são frutos do trabalho de famílias assentadas e acampadas presentes em 13 municípios da região, com mais de 1.800 famílias

Leia mais: Com a volta da fome no país, ONGs
e movimentos populares alimentam o povo no Natal

As ações fazem parte da campanha “Natal da Reforma Agrária Popular”, que vai ocorrer entre hoje e o dia 24 de dezembro em todo o Paraná, em solidariedade com quem enfrenta a fome neste período de pandemia. As iniciativas também denunciam o aumento da fome e a falta de políticas públicas de apoio à agricultura familiar por parte do governo Bolsonaro.

“O objetivo nosso vem desde o início do ano até agora, fazendo a aliança de solidariedade entre os companheiros da cidade e nós, do campo”, explica Nelson Preto, integrante da coordenação do MST e morador do assentamento Nova Geração, um dos que realizou as doações na região de Guarapuava.

João Flávio Borba, da coordenação estadual do MST, ressaltou que “Natal é tempo de vida e de esperança, e partilhar aquilo que se tem e não o que está sobrando. A reforma agrária prova que é possível produzir arroz, feijão, alimentos que vão chegar à mesa dos trabalhadores brasileiros”.

Desde o começo da pandemia, o MST do Paraná doou mais de 460 toneladas de alimentos no estado do Paraná, além de 34 mil marmitas em Curitiba e na região metropolitana.

Fonte: BdF Paraná

Arquivos

Categorias

Meta