Feliz dia pra quem?

Um poema de Adna Rahameier

Marcha das Mulheres, 2020 (Foto: Unlugarenel Mundo)

Nas nossas costas
Sustentamos o mundo

Damos conta de tudo
É quase um absurdo
Senão fosse tão cotidiano

Não quero um dia
Não quero rosas
Não quero desculpas
E nem ser chamada de maravilha

Quero respeito
Igualdade
Nada além do que
Ultrapasse o meu limite

Todo trabalho que fazemos
Move as engrenagens do mundo
E nenhuma cifra paga o amor que doamos

Com o tempo pagamos
E aceitamos
Que a sociedade cometeu um grande engano

Todos os dias são nossos
Porque fazemos da luta
Uma rima a cada dia.

___________________________
Adna Rahmeier é poeta e artesã em Foz do Iguaçu, Pr.

Arquivos

Categorias

Meta