Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Festival online de circo social na fronteira recebe propostas de apresentações

Evento selecionará 22 números, oficinas e shows, com cachês de R$ 200 a R$ 2 mil. Prazo termina nesta quinta-feira, 15.

Artistas, coletivos e realizadores circenses têm até quinta-feira, 15, para inscrever propostas de apresentações na edição on-line do III Festival de Circo Social da Fronteira, que será em maio. O evento é promovido pela Troupe Luz da Lua, de Foz do Iguaçu.

Serão escolhidas 22 atividades de circo, de qualquer localidade, sendo dez números, quatro shows e oito oficinas. Para a inscrição dos trabalhos, é necessário gravar um vídeo horizontal nos formatos de 1280 X 720 pixels (HD) ou 1920 X 1080 pixels (Full HD).

O arquivo audiovisual deve ser nomeado com a denominação ou nome do proponente e disponibilizado em ferramentas como Google Drive, WeTransfer ou outro meio de armazenamento em nuvem. Apenas o link precisa ser encaminhado à comissão técnica, para o e-mail joaomalabares@hotmail.com.

 

Antes da pandemia, edição do festival promoveu circo na praça pública de Foz do Iguaçu – Fotos: Marcos Labanca

 

A comissão avaliadora examinará as propostas juntamente com uma equipe de áudio e vídeo, considerando quesitos como a qualidade do material, contexto do grupo e envolvimento social e artístico. Os cachês serão os seguintes:

– números circenses (5 minutos de duração): R$ 200;
– oficinas (30 minutos): R$ 500; e
– show (30 minutos): R$ 2 mil.

O objetivo do festival é socializar a arte circense e promover o acesso ao público, gratuitamente, enfatiza João Andrade, um dos promotores do evento. “O circo deve ir ao encontro deo povo. Que nesse momento de pandemia possamos levar a arte e incentivar artistas”, frisa ao portal Guatá.

Conforme o integrante da Troupe Luz da Lua, a programação online será em maio e as atividades presenciais estão previstas para junho. “Isso caso retornem as aulas nas escolas que atendem pessoas com necessidades especiais em Foz do Iguaçu”, expõe.

 

Guatá / Paulo Bogler

Arquivos

Categorias

Meta