Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Greta Thunberg doa parte de prêmio para combate ao coronavírus na Amazônia

Greta ganhou 1 milhão de euros  da primeira edição do Prêmio Gulbenkian para a Humanidade

A ativista sueca Greta Thunberg foi escolhida para a primeira edição do Prêmio Gulbenkian para a Humanidade, anunciado nesta segunda-feira (20). Mais de 130 nomes de 446 países haviam sido indicados para receber a honraria. A militante de 17 anos avisou que vai doar parte do montante para a campanha SOS Amazônia.

O Prêmio Gulbenkian para a Humanidade, é uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian, entidade portuguesa criada em 1956 e conhecida por suas ações principalmente no mundo da cultura, da ciência e da educação. Mas, com este prêmio, a entidade optou por celebrar a luta contra as mudanças climáticas, homenageando pessoas ou organizações que contribuam para a avanço da preservação do planeta.

Segundo Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, a ativista sueca foi escolhida por “seu compromisso com a urgência da ação climática, contribuindo para uma sociedade mais resiliente e preparada para as alterações globais, protegendo em especial os mais vulneráveis”. Já o ex-presidente português Jorge Sampaio, que presidia o júri do prêmio, ressaltou a maneira como Greta “conseguiu mobilizar gerações mais novas para a causa do clima”.

Planeta em “situação de urgência”

A ativista, considerada pela Time Magazine uma das 100 pessoas mais influentes do mundo e duas vezes nomeada para o Nobel da Paz (2019 e 2020), se disse “extremamente honrada” com a escolha de seu nome. “Isso significa muito para mim e espero que me ajude a fazer mais pelo mundo”, declarou a sueca, que aproveitou a ocasião para frisar que o planeta está em “situação de urgência”.

Mesmo se disse que o valor de € 1 milhão dado pela Fundação é “mais dinheiro do que eu possa começar a imaginar”, Greta disse que já sabe o que vai fazer com o montante. Ela informou que pretende, por meio de sua própria fundação, fazer doações que prestigiem “organizações e projetos que lutam por um mundo sustentável e defendem a natureza, apoiando pessoas que enfrentam os piores impactos da crise ecológica e climática”.

A ativista avisou que € 100 mil serão doados para a SOS Amazônia, uma campanha mantida pela Fridays for Future, movimento popular iniciado pela própria Greta em 2018. Outros € 100 serão doados para a Stop Ecocide Foundation, entidade que luta para tornar o ecocídio um crime internacional.

De RfI

Arquivos

Categorias

Meta