Jovens entregam doação de máscaras e álcool a moradores do Bubas

Foram distribuídos 400 kits de proteção contra a covid-19; outros 500 serão doados em regiões populares de Foz.

Voluntários e moradores se uniram na ação solidária (Fotos: divulgação)

Jovens iguaçuenses se uniram nesse sábado, 18, para pôr em prática a empatia, tão proclamada nestes tempos de pandemia. Eles distribuíram gratuitamente a moradores da Ocupação do Bubas 400 kits de prevenção à covid-19, formados por álcool e máscaras protetivas.

Feito de casa em casa, o trabalho de entrega ocorreu em conjunto com lideranças e a comunidade do Bubas. O álcool é líquido, com concentração de 70%. Já as máscaras são em tecido, para serem reutilizadas.

De acordo com os integrantes da ação solidária, outros 500 kits serão doados em regiões populares do município. O álcool e as máscaras foram repassados pela Central Única de Favelas (Cufa), seção Paraná, resultado de parceria com o Grupo Boticário e a Riachuelo para ações de combate à covid-19 em favelas, ocupações e periferias paranaenses.

Representante da Cufa em Foz do Iguaçu, Bianor Junior destaca a importância do envolvimento da juventude, em especial do movimento hip-hop, em ações solidárias durante a pandemia. “Temos que cumprir essa função social”, frisa.

“A cidade se faz com movimento e com atitude de cada indivíduo”, expõe o professor de dança de rua e b-boy. “Temos a maior ocupação urbana do Paraná em nossa cidade. Precisamos pensar o que isso significa. Não podemos nos dar ao luxo de ficar parados”, acrescenta o artista.

 

Entrega dos kits na comunidade foi de casa em casa

 

Ação educativa

Um dos voluntários da ação, Márcio da Silva afirma que a iniciativa também tem um cunho educativo: “Além do álcool e da máscara, houve uma pequena conscientização, para quem sabe assim mais pessoas entendam o tamanho do problema que realmente está acontecendo”.

“Esse tipo de ação é fundamental. Tivemos a oportunidade de mostrar a relevância das medidas de proteção, que ajudam a todos”, sublinha o vendedor e design gráfico. “Encontramos muitas pessoas sem a máscara. É como se o medo da pandemia e a informação ainda não as alcançaram”, conclui.

A ação solidária na Ocupação do Bubas contou com o apoio de integrantes do coletivo Fronteira Preta, entre outros colaboradores.

Por Paulo Bogler