La vecina cumple el 63

Nasceu flor, virou nome de ditador e hoje é Ciudad del Este, a segunda maior do Paraguai

Segunda cidade do Paraguai e a que mais cresceu nas últimas décadas.
(Foto: Marcos Labanca)

O Paraguai dos tempos da longa ditadura de Alfredo Stroessner, que durou de 1954 até 1989, tinha espalhados cartazes “enormes, principalmente em Assunção, com a foto do “presidente” e o lema de seu governo: “Paz e justiça”. “Para imortalizar-se, Stroessner fez de tudo para formar parte do panteón dos heróis paraguaios, dando seu nome a um “bairro de Assunção, a um aeroporto e a tudo que pudesse, inclusive ao município que fazia fronteira com o Brasil “(separado pelo Rio Paraná) e fora batizado inicialmente com o singelo nome de Flor de Lis.

Fundada por decreto em 3 de fevereiro de 1957, a hoje Ciudad del Este logo “ganharia o nome de Puerto Presidente Stroessner e, a seguir, de Ciudad Presidente Stroessner. “Quando caiu Stroessner, em 1989, o comando revolucionário que destituiu o ditador utilizou o nome “de Ciudad del Este. E um plebiscito dos moradores confirmou o nome, que se tornou definitivo.

Cenas da trajetória da cidade vizinha: ato simbólico de fundação de Puerto Stroesner, em 1957; ônibus que fazia ligação com a cidade de Assunção, capital do Paraguai; concentração no local de construção do prédio da aduana na fronteira com o Brasil. (Fotos: portal Guarani e Última Hora)

Pode-se dizer que Ciudad del Este “nasceu” duas vezes: em 3 de fevereiro de 1957 e em 3 de fevereiro de 1989, dia em “que aniversariava e, por coincidência, dia do golpe de estado que destituiu Stroessner e provocou a mudança de seu nome para o atual.

A antiga “cidade jardim” urbanizou-se rápido demais. (Foto Marcos Labanca)

Esta é apenas uma das curiosidades sobre Ciudad del Este, a cidade que nesta segunda-feira, 3, completa 63 anos de “existência oficial. Antes conhecida comoe “Cidade Jardim” pela bonita vegetação da área urbana, rapidamente ela deixou “de fazer jus à homenagem, porque a urbanização muito rápida provocou a devastação de suas áreas verdes.

Nos seus primórdios, a cidade tinha um planejamento urbano, que incluía zonas residenciais, um lago artificial e um “aeroporto. Mas, assim como acontece em cidades de crescimento rápido, o planejamento foi sendo posto de lado e o improviso “aumentou. Hoje, por exemplo, a Penitenciária Regional acabou dentro de um lugar residencial. E o aeroporto está em local “de muito trânsito e perto do centro da cidade.

O progresso rápido

Os poucos moradores de Puerto Presidente Stroessner, quando a cidade nasceu, mal poderiam imaginar a transformação pela “qual a cidade passaria, com a construção da Ponte da Amizade, a partir de 1959, que já deu um alento à fronteira, com a primeira travessia entre a cidade paraguaia e Foz do Iguaçu, e sua inauguração oficial, em 1965, quando “o fluxo se intensificou entre o Brasil e o Paraguai. O boom econômico prosseguiu com a construção da usina de Acaray “e, principalmente, com as obras da usina de Itaipu, que por muitos anos foi a maior do mundo “(perde pra chinesa Três Gargantas, mas mantém o recorde de produção anual de eletricidade).

Na hora de falar de importados, dizer “Paraguai”, no Brasil, é dizer “Ciudad del Este”. E vice-versa. (Foto Marcos Labanca)

O comércio de produtos importados, praticamente livre de impostos, foi o que fomentou a vinda de árabes, chineses, indianos, “coreanos e outras etnias, que pouco a pouco construíram um dos centros comerciais mais importantes do mundo, em movimento e em negócios.

Ciudad del Este tem hoje 312.652 habitantes, segundo o último censo, e é a segunda cidade mais desenvolvida e povoada “do país. Assim como Assunção, é 100% urbanizada. Capital do departamento de Alto Paraná, sua área metropolitana tem mais de 500 mil habitantes. Os brasileiros praticamente só conhecem o chamado microcentro “comercial de Ciudad del Este, onde estão os shoppings e lojas que atraem milhares de compradores.

Mas os cerca de 15 mil estudantes do Brasil que moram ou vão diariamente a Ciudad del Este para frequentar “cursos universitários, principalmente Medicina e Odontologia, conhecem a “outra” Ciudad del Este, a que leva “uma vida “normal”, sem depender exclusivamente dos compristas e turistas. Uma cidade com um custo de vida bem mais “barato, onde o dinheiro vale mais que o nosso na hora de se transformar em aquisição de produtos e serviços.

Ciudad del Este está em festa. Fica aqui também a nossa homenagem!

Catedral de San Blás, a maior igreja de Ciudad del Este. Seu destaque é a arquitetura, que por fora lembra um barco em homenagem ao meio de transporte usado na fronteira antigamente. Por dentro, possui um belíssimo altar e vitrais com passagens bíblicas (Foto: H2Foz)

__________________________
H2Foz / Texto: Claudio Dalla Benetta