Leitura também dá samba

  –  Dois de dezembro é comemorado o Dia do Samba.
A Guatá homengeia o ritmo brasileiro que se tornou Patrimônio Imaterial da Humanidade
com uma exposição na Feira Livre do Bosque Guarani  – 

 
samba1O Dia do Samba será celebrado na Feira do Bosque Guarani, nesta sexta-feira, 2, com atividades realizada pelo programa Tirando de Letra. Promovido semanalmente pela associação Guatá, com o apoio da Fundação Cultural, o projeto dissemina leitura, literatura e expressões, por meio de ações culturais gratuitas a trabalhadores e visitantes da feira livre de Foz do Iguaçu.
 
Uma exposição visual com fotografias e imagens retratará a trajetória do samba no Brasil, gênero musical de raiz africana que integra a identidade e a cultura do povo brasileiro. Comemorado em 2 de dezembro, o Dia do Samba surgiu por iniciativa de um vereador baiano para homenagear o compositor Ary Barroso. Com o tempo, a data passou a ser festejada nacionalmente.
LEIA TAMBÉM SOBRE OS 100 ANOS DA GRAVAÇÃO DO SAMBA “PELO TELEFONE”
Na Feira do Bosque Guarani, o Tirando de Letra também irá realizar uma oficina para crianças, unindo literatura e criatividade. Os participantes irão refazer diferentes histórias presentes em textos literários, fábulas e outras narrativas. A banca de leitura da associação Guatá ainda terá livros, gibis, folhetos literários e varal de poesia.
 
O programa literário na feira irá expor três painéis com trabalhos visuais elaborados coletivamente por alunos da educação infantil do Sesc Foz do Iguaçu. O material apresenta a interpretação de crianças de 3 a 5 anos sobre os textos “A maior flor do mundo”, de José Saramago, a fábula “João e o pé de feijão” e a letra da música “João e Maria”, de Chico Buarque.
 
A pedagoga do Sesc, karina Moschowich, explica que a exposição é um trabalho lúdico para incentivar o gosto pela literatura entre as crianças. “Há quem diga que a educação infantil é só brincadeira. E está certíssimo! Brincadeira educa. Brincadeira é vivenciar aprendizagem”, enfatiza. “Ficamos felizes por partilhar o espaço com a Guatá nesse projeto que estimula a cidade a descobrir e desvendar o mundo da leitura”, expõe.
Para finalizar, a geladeira da guatá desta vez terá como novidade livros feitos pelo sistema cartonera. Artesanais eles carregam a marca da literatura que se espalha de mão em mão com os recursos que o povo tem. O processo cartoneras iniciou na América do Sul, com recicladores de papel transformando papelão em capa de livros artesanais. Na coleção inserida na ‘geladeira do Tirando de Letra’, textos do poeta Douglas Diegues em portunhol salvaje.
 
Leitura na feira
Tirando de Letra é um programa permanente da associação Guatá, com o objetivo de incentivar o gosto e o hábito pela leitura e a produção de textos.
Até dezembro deste ano, o projeto realizará intervenções em feiras livres e eventos culturais para a comunidade. Realizado desde 2005, o projeto foi reconhecido pelo Ministério da Cultura como Ponto de Mídia Livre (2011) e como Ponto de Cultura (2013-2015)
 
Tirando de Letra na Feirinha do Bosque Guarani
Data: todas as sextas-feiras, das 16 às 22 horas
Local: Zoológico Bosque Guarani (próximo ao Terminal de Ônibus – TTU)
Entrada gratuita


Paulo Bogler / Guatá
 

Arquivos

Categorias

Meta