Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Mais dois colégios em Foz são fechados depois que educadores foram diagnosticados com covid-19

Já são cinco escolas estaduais da região Oeste com profissionais contaminados pelo novo coronavírus, durante a formação pedagógica presencial.
Imagem ilustrativa – USP imagens

 

Na tarde da quinta-feira, 18, mais dois colégios estaduais em Foz do Iguaçu precisaram ser fechados depois que educadores foram diagnosticados com covid-19. Contando com esses, são cinco estabelecimentos de ensino com profissionais contaminados pelo novo coronavírus, durante a formação pedagógica presencial.

As escolas ficarão fechadas por dois dias. Em uma das instituições, a confirmação de covid-19 ocorreu na manhã desta quinta-feira, após uma professora passar mal e apresentar sintomas da doença. Na outra, uma funcionária recebeu o diagnóstico positivo no dia 9 de fevereiro, e duas educadoras apresentaram sintomas nesta semana e aguardam o resultado dos exames.

Conforme a APP-Sindicato/Foz, a entidade havia solicitado ao Governo do Paraná que a chamada “semana pedagógica” para formação de educadores fosse realizada de forma virtual, mas o pedido não foi atendido. Para o sindicato, as direções da Secretaria de Estado da Educação (Seed) e do Núcleo Regional de Educação (NRE) optaram por expor a categoria.

“Estamos tendo um cenário do que poderá ocorrer em eventual volta às aulas presenciais, como quer o governo”, afirma o diretor da APP-Sindicato/Foz, Silvio Borges. “Não há segurança para o retorno às escolas, é o que estamos constatando, infelizmente, com esses casos de covid-19”, frisa.

O dirigente sindical questiona a atuação dos órgãos estaduais. “O que estamos vendo é a total inoperância do NRE de Foz do Iguaçu e da Seed”, aponta. “Não há informação nem orientação para a categoria. Os tais protocolos não existem na prática, e os procedimentos são ausentes de transparência”, denuncia Silvio.

Greve pela vida

Em assembleia na última quarta-feira, 17, educadores decidiram manter a greve nas escolas estaduais caso o Governo do Paraná mantenha o retorno das aulas presenciais. A mobilização terá início no dia 1º de março ou na data da retomada das atividades letivas em sala de aula. A greve estava prevista para iniciar nesta quinta-feira, 18, mas a data foi alterada devido ao adiamento do retorno às aulas anunciado pela Secretaria de Estado da Educação (Seed). As atividades remotas, com aulas on-line, serão mantidas pela categoria.

(APP-Sindicato/Foz)

Arquivos

Categorias

Meta