Mídia digital e ativismo social

  –  Guia de uso da mídias digitais tem lançamento Foz  –


Foi lançado, no último sábado (16), a publicação colaborativa “Guia de arquivamento de vídeo para ativistas”, na Feira do Livro de Foz do Iguaçu. Entre os convidados para o lançamento, Ernesto Stock, um dos tradutores do livro para o português.
O guia de arquivamento é um manual para o uso de vídeos com o objetivo de documentação. Com as novas tecnologias, é comum o registro em imagem de instantes do cotidiano que se tornam material imprescindível para servir de denúncias e provas relacionadas a violações de direitos em comunidades e durante acontecimentos sociais e políticos, como greves e protestos.
As orientações do “Guia de arquivamento de vídeo para ativistas” começam pelo primeiro passo, que consiste na criação. O livro mostra os cuidados que os ativistas precisam considerar para reter informações preciosas que permitam a identificação, autenticação e uso do vídeo. Em seguida, é esmiuçado o fluxo de trabalho que começa na transferência, passa pela armazenagem e chega ao compartilhamento do material.
Conforme Felipe Lovo, um dos organizadores da atividade, o objetivo é compartilhar informações e experiências sobre o uso das mídias digitais no ativismo social. “O livro foi publicado em inglês e acaba de receber uma versão em português. A ideia é fazer um debate a partir do guia sobre a importância das mídias digitais para os movimentos sociais”, frisa
“Apresentando consistente base conceitual e ao tempo imediato caráter prático, o Guia pretende ser uma poderosa ferramenta para ativistas, estudantes e organizações fazerem uso do vídeo como instrumento de prova jurídica”, informam os editores, na apresentação do livro.
Disponível na internet, o “Guia de arquivamento de vídeo para ativistas” pode ser acessado aqui.
__________________________
Guatá/Paulo Bogler
 

Arquivos

Categorias

Meta