Mordillo

Morreu o cartunista e ilustrador argentino Guillermo Mordillo. Artista virou ícone do humor gráfico mundial com cartuns de colorido peculiar e ausência de textos.

Mordillo faleceu na noite de sábado (29), na Espanha, onde residia. O desenhista argentino é um dos ícones do humor gráfico, sendo um dos mais publicados no mundo.

Filho de espanhóis, nasceu em 1932. Aos 13 anos passou a se dedicar ao desenho. Aos 23, já sendo ilustrador pela Escola de Jornalismo, se mudou para Lima, no Peru, onde trabalhou inicialmente numa agência de Publicidade.

Depois de cinco anos, foi contratado pela Paramount e se encarregou da animação do personagem Popeye para o cinema. Passou a viver em Nova Iorque. Era um tempo de crise no estúdio e para diminuir custos de produção, a animação era feita movendo apenas as expressões do rosto e os braços.

Mordillo, no entanto, queria fazer animação completa e então partiu para Paris. Ultrapassando dificuldades iniciais com pequenos trabalhos, logo tentou o humor dirigido a publicações impressas. Como não dominava o francês, o fez de forma muda. Essa falta de texto acabou sendo marca importante de seu trabalho, assim como o uso das cores vivas e o desenho de traços arredondados e alegres.

Visite a página oficial do artista. Clique, aqui

A obra – Ao longo de sua carreira, ele fez poucos desenhos com diálogos. Destes, quase todos onomatopaicos. Em uma entrevista, tempos atrás, disse: “Falo cinco idiomas, mas aquele que melhor eu falo é o do desenho, que é universal.”

Suas ilustrações na afamada revista París Match foram o pontapé definitivo para o sucesso da carreira a partir dos anos 70. Suas criações logo foram reproduzidas em publicações de todo o planeta.

Mordillo desenhava todos os dias até a morte. Mordillo fez mais de 2 mil desenhos, mantendo uma média de 60 por ano. E dois temas são predominantes neles: futebol e animais.

Clique aqui e assista entrevista de Mordillo

No Brasil – Várias publicações impressas publicaram Mordillo no Brasil. Entre elas, as revistas Ele & Ela e Manchete Esportiva. O ilustrador argentino também teve durante um bom tempo, espaço no Fantástico, programa dominical da Globo.

Em 2015, Mordillo teve sua obra sobre futebol reunida pela primeira vez em livro no Brasil em “Mordillo – Futebol & Cartuns” (Panda Books).

_________________________
Guatá / Com Clarin e Globo

Arquivos

Categorias

Meta