Mostra de Cinemas Africanos tem exibição online e gratuita até dezembro; confira

Além dos 10 longas e das duas sessões de curtas, festival oferece curso, entrevista com diretores e um ebook


Filmado em Burkina Faso, filme Fronteiras (2017), da diretora Apolline Traoré, marca a abertura do festival no dia 10 de setembro (Foto: Filme Fronteira/Divulgação

 

Aqui vai um bom motivo para ficar em casa até o final do ano: a partir do dia 10 de setembro, a Mostra de Cinema Africano irá exibir 10 longas e duas sessões de curtas gratuitamente até dezembro.

Todas as quintas o festival estreia um filme novo, que ficará disponível por uma semana na plataforma, acompanhado de uma entrevista exclusiva com seu diretor ou diretora.

Está previsto um bate-papo com o tema “cinemas africanos em contexto digital” na live organizada pelo Cinesesc de São Paulo.

O Cine África inclui também o curso “Cinemas Africanos: trajetórias e perspectivas” com duração de três meses e o lançamento de um e-book ao final da temporada.

O filme de abertura é o drama “Fronteiras” (2017), da diretora Apolline Traoré.

A mostra tem curadoria da brasileira Ana Camila Esteves e da espanhola Beatriz Leal Riesco.

“O recorte curatorial atende à demanda por proporcionar espaços de exibição no Brasil de filmes recentes produzidos na África e sua diáspora nos últimos cinco anos, bem como promove o contato do público com as estéticas e narrativas presentes nesta cinematografia ainda muito desconhecida do público brasileiro”, informa a nota de divulgação da Mostra.

Calendário

Confira o calendário completo da ordem de exibição dos filmes. Lembrando que cada obra ficará por uma semana disponível.

Setembro

10/09 – “Fronteiras”, de Apolline Traoré (Burkina Faso, 2017) – Drama – 91 min;

17/09 – “O Enredo de Aristóteles”, de Jean-Pierre Bekolo (Camarões, 1996) – Comédia – 71 min;

24/09 – “aKasha”, de hajooj kuka (Sudão, 2019) – Comédia – 78 min;

Outubro

01/10 – “Lua Nova”, de Philippa Ndisi-Hermann (Quênia, 2019) – Documentário – 70 min;

02/10 (17h) – Cinema da Vela – com o tema Cinemas africanos em contextos digitais. Participantes: Ana Camila Esteves (Brasil), Marina Gonzaga (Brasil/França) e Jorge Cohen (Angola).

08/10 – “O Fantasma e a Casa da Verdade”, de Akin Omotoso (Nigéria, 2019) – Drama – 107 min;

15/10 – “Rosas Venenosas”, de Fawzi Saleh (Egito, 2018) – Drama – 70 min;

22/10 – “Madame Brouette”, de Moussa Sene Absa (Senegal, 2002) – Drama – 101 min;

29/10 – “Beyond Nollywood – Sofrendo e Sorrindo” (Nigéria) – Programa de curtas – 99 min;

Novembro

05/11 – “Nada de errado”, de vários diretores (Suíça, 2019) – Documentário – 49 min;

12/11 – “O Preço do Amor”, de Hermon Hailay (Etiópia, 2015) – Drama – 99 min;

19/11 – “Quartiers Lointains – Afrofuturismo” (diáspora francesa) – Programa de curtas – 100 min.

26/11 – “Supa Modo”, de Likarion Wainaina (Quênia, 2018) – Drama – 74 min.

 

Curso

Com duração de três meses, a atividade oferece um panorama sobre os cinemas africanos. As inscrições gratuitas abrem no dia 10 de setembro e são oferecidas 35 vagas.

Ministram o curso Ana Camila Esteves, Jusciele Oliveira, Morgana Gama e Marcelo Ribeiro.

Inscrições devem ser feitas no site do Sesc SP a partir do dia 10 de setembro, às 14h.

 

Por Brasil de Fato

Arquivos

Categorias

Meta