Na madrugada…

  –  Um poema de Aline Torres  –

.
Estamos em tempos sombrios,
Tenho sonhos nebulosos,
Onde eu não me enxergo e não vejo o outro.
.
O que consigo ver são apenas nuvens,
nuvens profundas na minha frente,
Repletas de fumaça.
.
Está tudo embassado,
Não consigo enxergar.
Não vejo ninguém,
Sigo aflita.
.
Começo a correr e não saio do lugar,
Tento gritar, mais nada sai da minha garganta.
Ouço uma multidão batendo os pés,
Dando a impressão de chegarem perto de mim.
.
Me sinto sozinha,
Perdida,
Com medo,
E nada tenho a fazer.
.
Com medo,
Me fecho em posição fetal e choro.
Mas esse choro não sai.
Nenhuma lágrima escorre por meus olhos.
Começo a soluçar de desespero,
.
Lá no fundo vejo clarear…
Quando abro os olhos, me vejo a sonhar.
Sonhar com um dia claro, chuvoso ainda,
mas não carregado.
Quando olho pro lado são 6:20 da manhã,
O relógio desperta e já levanto cansada
Para mais um dia de trabalho.
Alguns dias tem sido assim…

__________________________
Aline Torres é professora de História na rede pública de ensino médio. O poema foi publicado na revista Escrita 52