Nise da Silveira

CCJ aprova inclusão da médica alagoana no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. Nise foi pioneira na humanização do tratamento psiquiátrico

Nise da Silveira ficou conhecida por seu trabalho humanizado como psicoterapeuta / Centro Cultural da Saúde/Ministério da Saúde

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta segunda-feira (18), o Projeto de Lei 9262/17, da deputada Jandira Feghali (PcdoB-RJ) que inclui o nome de Nise Magalhães da Silveira no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. Aprovada pela Câmara dos Deputados, a proposta segue para o Senado, a não ser que haja recurso para análise do Plenário.

Uma das primeiras mulheres formadas em medicina no país, Nise revolucionou o tratamento mental por meio da arte. Ela era contrária às terapias agressivas comuns em sua época, como o eletrochoque, e se tornou um importante símbolo do movimento antimanicomial.

Conhecida pelo pioneirismo na psiquiatria humanizada, em 1956, a médica fundou a Casa das Palmeiras. Dos esforços dela e de seus pacientes foi criado também o Museu do Inconsciente, aberto até hoje no Rio de Janeiro junto ao Instituto Municipal Nise da Silveira, atual nome do Centro Psiquiátrico de Engenho de Dentro, onde a médica construiu seu projeto.

Relembre a trajetória de Nise da Silveira, aqui.

Leia sobre o filme “Nise – o Coração da Loucura”

_________________________
Brasil de Fato