"Ñomongeta"

No Ano Internacional das Línguas Indígenas, compositor paraguaio apresenta ao mundo ópera em língua guarani

A ópera “Ñomongeta” (que na língua guarani quer dizer “Conversa”) de autoria do maestro e compositor paraguaio Diego Sánchez Haase, teve sua estréia mundial na Itália. Baseada em texto do também paraguaio Modesto Escobar, a primeira ópera inteiramente em língua guarani, trata de uma conversa imaginária entre um anônimo guarani e Cristóvão Colombo, 500 anos depois da chegada do aventureiro espanhol no continente americano.

José Mongelós, tenor paraguaio é o protagonista do monólogo do personagem indígena da ópera “Ñomongeta” (Foto: JABC)

A adaptação musical feita por Sánchez Haase do texto escrito por Escobar em 1992, é na verdade um monólogo e pode ser dividido em dois tempos. Primeiro, o personagem guarani trata dos antigos de sua gente, e da existência de seus antepassados tendo como eixo a natureza. Num segundo momento, o nativo, interpretado pelo tenor paraguaio José Mongelós, passa a tratar das consequências do colonialismo até os tempos atuais.

Na última cena, o protagonista pára diante de uma estátua de Cristóvão Colombo e relata ao aventureiro as mudanças sofrida desde a chegada dos conquistadores, como a usurpação das terras e a depredação do ambiente que até então era rica e praticamente intocável.

Inovações – Tendo essa temática como eixo, o compositor paraguaio criou obra de muito ineditismo. Em primeiro lugar, claro, por ser toda cantada em língua guarani. Depois pela seu formato. A ópera é curta, de meia hora, um monólogo que conta apenas com um tenor, que interpreta sem o acompanhamento de orquestra, num formato muito apropriado para pequenos teatros.

Sánchez Haase recorreu ao uso de instrumentos indígenas, como o mimby, uma flauta indígena, bem como tambores e maracas nativos. Com exceção do mimby, a interpretação dos instrumentos de percussão será executada por José Mongelós.

O criador da ópera Ñomongeta resume seu trabalho como “uma combinação de música contemporânea com elementos da música indígena e o lirismo da ópera italiana”.

A peça, que conta com o apoio da videoescenografia, também será a primeira ópera de um compositor paraguaio lançado na Itália, berço do gênero musical.

O compositor e maestro paraguaio Diego Sánchez Haase, autor da ópera Ñomongeta, na Itália. (Foto: UH)

Circuito – Depois da Itália, Ñomongeta embarcará em uma excursão que passará por Bruxelas e Paris, e chegará à Assunção, em setembro.

______________________
Fonte:
jornal Ultima Hora e EFE

Arquivos

Categorias

Meta