Oficina de História, Percussão e Dança Africana

  –  A Vila C, em Foz do Iguaçu, recebe músico africano para oficina  –  

danca africanaO evento terá inicio com um painel, no dia 20, com uma introdução à história da Guinea Conakri. Depois, haverá a primeira aula de percussão, com o o mestre Kabele Bah. Na sequência, nos dias 21 e 22, outras duas oficinas serão realizadas, repassando outros dois ritmos diferentes de dança.
Os organizadores explicam que os valores pagos pelos participantes estarão condicionados ao número de oficinas acessadas. As inscrições podem ser pagas a cada dia. O pacote para todas as oficinas é de R$ 80,00 e estudantes tem preço especial, desde que apresente carteirinha ou crachá de acesso à Unila.
As oficinas acontecem entre os dias 20 e 22, na sede do Conselho Comunitário da Vila C, rua Vila Velha, 63.  Telefones para contato: (45) 9826.5232 (Juliana) e 8412.6324 (Anne-Sophie)
Os oficineiros:
Kabele Bah, que nasceu em Guinea Conakry, é percussionista tradicional Africano. Sua formação baseia nos estudo em composição e execução musical, com especialização em ritmos e percussão africana. Professor de percussões africanas desde seus 20 anos, ele é filho de Yero Bah, primer violín da orquestra de Guinea e primeiro fabricante de tambores e instrumentos tradicionais de Guinea.
Juliana Zacarias, brasileira, graduanda de Letras, Artes e Mediação Cultural em formação. Dirige aulas de dança africana junto a Anne Sophie Bertrand, todas as Terças e Quintas-feira das 11h45-14h00 na academia do Ginásio do Jardim Universitário-Unila, totalmente aberto a comunidade e gratuito. As volútarias ja praticam o ritmo há 3 anos quando iniciado por Florentina Peralta.
 


Assessoria