Olé!

  –  16 de novembro é data internacional do Flamenco, patrimônio cultural imaterial da Humanidade –

Desde 2010 o dia 16 de novembro é considerado o Dia Internacional do Flamenco. Trata-se da data em que a Unesco reconhecu o Flamenco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
Aparentemente um estilo de música e dança característico da Andalucia, Extremaura e Murcia, na Espanha.  A ideia mais aceita sobre sua origem é que seja resultado da mescla de várias culturas e civilizações que se ocuparam e se desenvolveram aquela região andaluz. No centro dessa mescla, árabes e ciganos.
Apesar dessa condição inicial, o flamenco vai além do folclórico, sendo um gênero artístico e uma manifestação cultural viva, em constante desenvolvimento.
Atualmente, sua prática se estendeu por todo o mundo, com academias e associações que o difundem da Europa, passando pelo oriental Japão até as  Américas, rompendo barreiras culturais, de idioma e ideológicas. Algo importante nos tempos em que andamos. Só no Brasil são centenas de iniciativas do estudo e da prática dessa forma de expressão artística.
A iniciativa da Unesco, em 2010, deveu-se ao entendimento de que o Flamenco é símbolo importante da tradição oral da sua região original. E também pela sua representatividade de instrumento de sociabilidade no planeta. Leia mais, clicando aqui.
Patrimôno Imaterial – A “lista do patrimônio cultural imaterial da humanidade” foi instituída por uma Convenção assinada em 2003,  cujo objetivo é proteger culturas e tradições populares, da mesma maneira que lugares e monumentos.
[box] No Flamenco, Olé é a manifestação mais profunda de cumplicidade, repleta de emoção e entusiasmo que, via de regra, confirma seu caráter de elemento primário de comunicação entre aquele que escuta e aquele canta, entre aquele que assiste e aquele que baila, entre aquele que palmea e aquele que toca. Acredita-se que esta expressão é derivada da palavra árabe Alá (Deus). Assim, quando algo está além das palavras, seja ele cante, baile ou toque, um Olé que brota livre e espontâneo da garganta, é capaz de invocar algo divino como expressão da admiração diante daquilo que se aproxima da perfeição. É também, uma forma de reafirmar a presença e participação do público. (Fonte:Tiriti)[/box]
Visite a página de Alambra, em Foz.
Visite “Vamo Allá, Flamenco sem fronteiras
Saiba mais da história do Flamenco no Brasil

_____________________________
Fonte: Unesco e Flamencoem Pauta
 
 

Arquivos

Categorias

Meta