OMS dá novas orientações para máscara de tecido; saiba como usar

A Organização Mundial da Saúde publicou novas orientações quanto à confecção e o uso de máscaras de tecido em público para conter a disseminação do novo coronavírus. A OMS recomenda três camadas de tecido na confecção.

 

.

As mudanças se referem principalmente ao tipo e ao número de camadas de tecido necessárias para garantir a eficácia do item de proteção. Agora, é aconselhável que as máscaras de tecido — tanto as fabricadas quanto “improvisadas” — tenham pelo menos três camadas. Cada uma delas cumpre uma função diferente: a interna, mais próxima ao rosto, deve ser confeccionada com um tecido absorvente, como o algodão; a externa, por sua vez, deve ser feita com um tecido resistente à água. A do meio servirá como um filtro para que nada passe de dentro para fora ou de fora para dentro.

A recomendação anterior indicava que a máscara poderia ter apenas duas camadas de tecido, preferencialmente algodão.

O órgão reforçou, porém, que as diretrizes atualizadas são baseadas em evidências que vêm evoluindo e, por ora, não dispensam a necessidade de manutenção das práticas de isolamento social e higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel. As máscaras de tecido são indicadas para aqueles que não estão em contato direto com pessoas infectadas e nem sempre conseguem ficar em casa ou manter o distanciamento de pelo menos um metro das outras pessoas. Quem convive com pacientes de covid-19 deve usar as máscaras cirúrgicas, que são descartáveis.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), passa a seguir a recomendação da OMS. Segundo documentos da Agência, as máscaras caseiras agora terão de possuir três camadas de tecidos na sua fabricação, seguindo a orientação do organismo internacional.

 

Cuidados importantes

O uso das máscaras de tecido requer alguns cuidados extras: é imprescindível higienizar bem as mãos antes de colocá-la e tocar apenas nos elásticos, nunca na parte da frente (ainda que suas mãos estejam limpas).

Também é preciso se certificar de que o tecido esteja bem rente ao rosto, mas de forma confortável, sem machucar a pele ou dificultar a respiração. Se a máscara estiver suja ou úmida, não a coloque.

Na hora de tirá-la, a OMS novamente recomenda que as mãos estejam bem desinfetadas e que o manuseio seja feito apenas pelos elásticos.

Se a máscara não estiver suja ou molhada, ela pode ser armazenada em um saco de plástico limpo (tipo “Ziplock”) até a hora da lavagem — que deve ser feita o mais rápido possível.

Vale lembrar que o uso correto das máscaras de tecido ou cirúrgicas, por si só, não é capaz de prevenir uma pessoa de pegar a covid-19. É necessário, ainda, manter distância de outras pessoas, lavar as mãos constantemente e evitar tocar o rosto, seja quando estiver com ou sem a máscara.

Por VivaBem