Perda, um poema de Adna Rahmeier

Perda

no entra e sai
dos lugares
nossas mãos estão
ficando secas
a pandemia embora
presente, foi negada
perdemos essa parada
que nossos filhos
obrigados a girar
na corrida produtiva
do a dia a dia
sejam poupados
há algo mais importante
em jogo do que
o recado pelo
professor dado
longe de mim
menosprezar tão nobre trabalho
mas a lição de casa
pede entre a letra a:
a vida insubstituível
imensurável em sua finitude
e letra b:
não perder a cabeça
por estarmos todos estressados
qual será exemplo histórico a ser conquistado?

Adna Rahmeier é poeta, artesã e psicóloga em Foz do Iguaçu, Pr.