Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Povos originários

Por educação, saúde e terra, indígenas e quilombolas realizam manifestações na Capital Federal

Indígenas reivindicam em Brasília. Educação específica e diferenciada para os povos originários e quilombolas. (Foto: LailaMenezes / Cimi)

Lideranças indígenas da Bahia e estudantes indígenas e quilombolas de todo país estão em Brasília, com o objetivo de dar seguimento às pautas e demandas levantadas pelos povos durante o Acampamento Terra Livre 2019 (ATL 2019), realizado em abril deste ano. A delegação permanece em Brasília durante esta semana.

Na centralidade das manifestações, articulações e audiências está a Educação Indígena e a manutenção do Programa de Bolsa Permanência – política pública que busca garantir a permanência de estudantes, sobretudo, quilombolas, indígenas e em situação de vulnerabilidade socioeconômica matriculados em instituições federais de ensino superior. A saúde indígena e a falta de atendimento nas comunidades. A luta e resistência em defesa dos territórios, e contra a reforma da previdência.

Composta por entorno de 300 lideranças, a delegação contempla os povos Pataxó, Pataxó Hã Hã Hãe, Tupinambá, Atikum, Xucuru, Tuxá, Pankararu, Kariri Sapuya, kiriri, Kaimbé, Potiguara e Tapuia. Conta ainda com a participação de estudantes indígenas e quilombolas da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Pará (UFPA) e do Instituto Federal da Bahia (IFBA).

Entre as atividades programadas para a semana tão ato em frente Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) às 9h e às 14h em frente ao Ministério da Educação (MEC), ambas nesta terça-feira (4). Na quarta-feira, 5, pela manhã está prevista uma Marcha na Esplanada dos Ministérios na manhã da quarta-feira (5). As manifestações e ações de incidência política fazem parte da II Mobilização Nacional dos Estudantes Indígenas e Quilombolas e serão realizadas em conjunto com o Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas da Bahia (MUPOIBA)

__________________
Da página do
Cimi

Arquivos

Categorias

Meta