Prêmio pelo (re)conhecimento

Águia de Ouro vence o carnaval em SP com homenagem a Paulo Freire

Escola de samba homenageou o educador brasileiro Paulo Freire. (Foto: José Cordeiro | SPTuris)

A escola de samba Águia de Ouro é a grande campeã do Carnaval de São Paulo 2020 e consagra o engajamento político em todo o país do carnaval deste ano. A agremiação conquistou 269,9 pontos na avaliação de seu desempenho. Com o enredo “O poder do saber – Se saber é poder….Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, a escola homenageou o educador Paulo Freire, alvo constante de ódio do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido).

É a primeira vez que a Águia de Ouro conquista a disputa no Grupo Especial paulista. A concorrência foi acirrada com a Tatuapé, que buscava o tricampeonato. O título foi decidido no último quesito, de alegoria, que acabou jogando a escola da zona leste para a quarta posição, terminando com 269,7 pontos.

Ao todo, os jurados avaliaram nove quesitos de cada escola: fantasia, comissão de frente, samba-enredo, harmonia, evolução, mestre-sala e porta-bandeira, enredo, alegoria e bateria. Cada categoria teve quatro jurados, com notas de nove a 10, fracionadas em décimos.

A escola Águia de Ouro, de 44 anos, do bairro Pompeia, na Zona Oeste, volta à avenida na próxima sexta-feira (28) para o Desfile das Campeãs, junto com as outras quatro primeiras colocadas do Grupo Especial: Mancha Verde, Mocidade Alegre, Acadêmicos do Tatuapé e Dragões da Real.

X-9 Paulistana e Pérola Negra caem

As escolas X-9 Paulistana e Pérola Negra foram rebaixadas e desfilam no Grupo de Acesso do Carnaval de São Paulo no ano que vem. A X-9 Paulistana, uma das escolas mais tradicionais de São Paulo, ficou com 268,4 pontos e terminou em penúltimo lugar. A última posição foi da Pérola Negra, que tinha subido para o grupo especial ano passado e ficou com 267,6 pontos.

A X-9 Paulistana levou o enredo “Batuques para um rei coroado” para a avenida. Para explicar o poder do batuque no Brasil, a agremiação passeou por diversos ritmos, como Xaxado, Maracatu e Samba. Além disso, abriu espaço para uma homenagem às festas de São João e do Divino. A escola recebeu uma punição devido a problemas com um dos seus carros e perdeu 5 décimos de nota. Além disso, teve um mau desempenho no quesito alegoria e fantasia.

Já a Pérola Negra abriu o segundo dia de desfiles. A escola enfrentou, no último dia 10 de fevereiro, uma enchente em seu barracão, que culminou na perda de 40% das fantasias da agremiação. A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo determinou, então, que os adereços com defeitos da Pérola Negra não tirariam pontos da escola no quesito Fantasia.

Na avenida, a escola apresentou o enredo “Bartali Tcherain – A estrela cigana brilha na Pérola Negra”, que contou a história do povo cigano, mas devido a perda de pontos nos quesitos alegoria, evolução, fantasia e comissão de frente, não conseguiu se segurar no grupo especial.

______________________________
S21
/ Brasil de Fato