Projeção em mesquita de Foz homenageia profissionais da saúde e marca início do ramadã

Para marcar o início do ramadã e homenagear os trabalhadores envolvidos no combate à covid-19, o Centro Cultural Beneficente Islâmico (CCBI) projetou, na noite desta quinta-feira, um vídeo na cúpula da Mesquita Omar Ibn Al-Khattab.

Foram projetadas imagens de vídeo elaborado pela Prefeitura buscando homenagear os colaboradores do Hospital Municipal (Reprodução)
H2FOZ – Denise Paro

Para marcar o início do ramadã e homenagear os trabalhadores envolvidos no combate à covid-19, o Centro Cultural Beneficente Islâmico (CCBI) projetou, na noite desta quinta-feira, um vídeo na cúpula da Mesquita Omar Ibn Al-Khattab. A ação é uma parceria entre CCBI, Parque Tecnológico de Itaipu e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu.

Cerca de 25 mil seguidores do islamismo iniciam amanhã, a partir das 5h40, o jejum de ramadã em Foz do Iguaçu. A prática religiosa segue até o pôr do sol, por volta das 18h20, levando os muçulmanos a ficar sem comer, beber e manter relações sexuais por mais de 12 horas.

Neste ano, em razão da pandemia de covid-19, as atividades coletivas, a exemplo de cultos e cerimônias realizadas em mesquitas, estão suspensas. Por isso, as mensagens e orientações dos líderes religiosos serão repassadas via redes sociais.

El Zahed: “homenagem aos servidores de saúde é o mínimo que podemos oferecer as pessoas que estão na linha de frente para nos proteger da pandemia. Foto: Reprodução “live” Prefeitura de Foz

O xeique Oussama El Zahed, imã da Mesquita Omar Ibn A-Khattab, situada na Rua Meca, diz que estão sendo preparadas cestas básicas para serem distribuídas durante o período do ramadã para pessoas necessitadas. “É para passar essa tempestade com menos danos e minimizar o efeito do isolamento que todo mundo está seguindo por causa da covid-19”, afirma. As cestas serão doadas de acordo com a arrecadação dos alimentos.

O ramadã é o nono mês do calendário islâmico e neste ano segue até o dia 22 de maio, quando chega mais uma lua nova. Conforme a tradição islâmica, foi durante esse período que Deus revelou a Maomé ensinamentos contidos no livro sagrado do Corão. Além de jejuar, os muçulmanos costumam recolher-se para fazer orações durante o período.

Foz do Iguaçu conta com uma expressiva colônia árabe-muçulmana. Estima-se que a concentração de árabes e descendentes na cidade é a segunda maior do país, atrás apenas de São Paulo (SP). A cidade tem duas mesquitas. A vizinha Ciudad del Este, no Paraguai, também abriga uma comunidade árabe, muitos seguidores do islamismo.

Por Denise Paro / H2FOZ

Arquivos

Categorias

Meta