Protagonismo negro no turismo é tema de congresso pioneiro no Brasil

Os organizadores pretendem abordar a questão racial e suas demandas no turismo no evento on-line “O Mundo é Nosso – Congresso de Viajantes Pretos do Brasil”

O turista negro como protagonista de escolhas, narrativas e relevâncias. (Foto: divulgação)

 

Todos os anos são realizados dezenas de eventos e congressos de turismo pelo Brasil. Muitos palestrantes, especialistas e profissionais do setor se revezam em debates, palestras e seminários em busca de enriquecer a discussão sobre setor. Porém, quantos pretos e pretas têm voz nesses eventos? Quando a questão racial e suas demandas no turismo são abordadas de maneira real e com pessoas que sabem do que estão falando?

Foi em resposta a essa invisibilidade que a publicitária e escritora Manoela Ramos e o consultor de viagem e digital influencer Nícolas Guerra criaram o I Congresso Nacional de Viajantes Pretos do Brasil – “O Mundo é Nosso”, que ficará disponível online a partir do dia 20 de novembro.

“Geralmente, ouvimos falar que não existem tantos viajantes pretos pelo mundo. Em resposta a estes comentários, reunimos uma comunidade de palestrantes de diferentes regiões do país, que viajam e mostram que estamos sim presentes”, explica a publicitária.

Os 24 convidados, que juntos somam mais de 150 mil seguidores das redes sociais, vão abordar em quatro painéis temas como o racismo, as dificuldades de adaptação, possibilidades profissionais e questões da comunidade LGBTQIA+ partindo do ponto de vista de pessoas pretas.

“Estamos desenvolvendo nosso próprio espaço como forma de resistência ao racismo velado que se manifesta em tudo, até nos congressos de viagens, contribuindo para o apagamento de nossas histórias. Queremos mostrar a pluralidade e a riqueza de conhecimento de nossas viagens e incentivar outros como nós a ocupar seu lugar no mundo”, diz Nícolas Guerra.

Os interessados em participar podem aproveitar o valor de pré-venda (R$53) até o dia do lançamento do evento. Depois do dia 20 de novembro o valor será de R$88, e o material ficará disponível para os inscritos por 10 meses.

“Nosso congresso surge não como mais um, mas como o primeiro e único no segmento que tem o protagonismo negro. Com ele, esperamos mostrar que somos muitos e que nossas narrativas têm relevância e valor”, completa Manoela.

Confira a programação completa:

Painel 1 – Pessoas pretas também viajam

Rebecca Alethéia (@rebeccalethei) – Por que uma rede de mulheres pretas viajantes?
Guilherme Soares (@guianegro) – A importância de fazer um turismo afrocentrado.
Leandro Gonçalves (@pretoviajante) – Eu, homem preto, posso viajar.
Dandara Rosa (@dandarix)- O mundo é a minha província.
Mario Junior (@mariojuniortravel)- Não precisa ser rico para viajar
Pâmela Rocha (@roletdapam)- Mulher viajando sozinha

Painel 2 – Viagem é resistência

Thiago Dias (@bichapretapelomundo) – Perspectiva de um preto gay viajando
Fabio Mukanya (@fabio_mukanya_simoes) – África sonora; viagem como resgate da cultura africana
Kerolayne Kemblim (@dacordobarro) – Viajar como forma de resistência artística
Marcelo (@faveladospelomundo) – Favelados pelo mundo
Fred Silva (@orastapelomundo) – Um rasta pelo mundo
Stéfany Maia (@stefanymaia) – Viajante e atriz, de minas para o mundo.

Painel 3 – Viagem como reconexão

Moysés (@negopelomundo) – Descobrindo minha ancestralidade
Nicolas (@mochilek) – Viagem como reconexão com a negritude
Dayanne Bernardo (@viajecomday_) – viagem como reconexão com a natureza
Manoela (@escritoraviajante) – Viagem como reconexão comigo mesma
Janah e Maria (@maeefilhatrips)Viagem como reconexão com a família
Gabriela Palma(@soumaiscarioca) – Turismo afrocentrado como reconexão

Painel 4 – O Mundo é Nosso

Ingrid Ellen (@africa.fora.da_midia)- Perspectivas de uma baiana em Moçambique
Lola Cirino (@lolacirino)- Preta fazendo intercâmbio
Sophia Costa (@whoisophia)- Nomadismo digital e o mundo como casa
Joana Silva (@registrosdajo)- O que eu aprendi viajando e morando na China?
Paula Augot (nomundodapaula)- 51 países visitados
Joaquim Costa (@viaja_preto)- Um pernambucano pelo o mundo

Veja também: Guia Negro: cinco destinos que você precisa conhecer pós-pandemia

Da página Catraca Livre

Arquivos

Categorias

Meta