Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Saúde e proteção

  – Itaipu e Nações Unidas se unem na prevenção da gravidez na adolescência  –  

 

Material informativo da campanha educativa e infromativa – fotos: Alexandre Marchetti

.
A Itaipu Binacional e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) apresentaram no último dia 15, aos prefeitos do Oeste do Paraná, o projeto “Prevenção e redução da gravidez não intencional na adolescência”, desenvolvido pela empresa e a agência da Organização das Nações Unidas. Segundo Jaime Nadal, representante do UNFPA no Brasil, a iniciativa é uma oportunidade para os municípios paranaenses se tornarem referência na abordagem do assunto.
.
“As ações que pretendemos pôr em prática poderão trazer um impacto importante ao desenvolvimento da região Oeste do Paraná. No futuro, essa experiência de sucesso poderá ser replicada em outros locais, inclusive outros países”, disse Nadal.
Stamm: “Projeto envolve questões de saúde, sociais e de educação”
.
A Itaipu Binacional vai apoiar a iniciativa por meio do Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde. Segundo o diretor-geral brasileiro da empresa, Marcos Stamm, “é bom saber que podemos contar com a parceria dos municípios para executar esse tipo de projeto, que envolve não apenas questões de saúde, mas também sociais, de educação e até mesmo de consciência das pessoas”.
.
O objetivo é levar informações de qualidade e apropriadas para que adolescentes possam tomar decisões voluntárias, informadas e responsáveis sobre sua saúde, seu futuro e evitar gestações não planejadas. A ação conjunta envolve serviços, estratégias de comunicação, produção e análise de dados que permitam desenvolver políticas públicas voltadas para adolescentes e jovens, em especial na prevenção da gravidez não intencional.
.
A Itaipu e o UNFPA, ao lado das gestões municipais, desenvolverão um programa completo de prevenção, informação e capacitação. Segundo o consultor do GT Itaipu-Saúde, o médico Luiz Fernando Ribas, o projeto seguirá uma “linha mestre” de ação, mas haverá respeito às características de cada local. “As estratégias serão específicas para as necessidades que serão levantadas em cada cidade”, disse.
.
A iniciativa foi apresentada durante a 5ª assembleia extraordinária da Associação de Municípios do Oeste Paranaense (Amop). Além de Marcos Stamm, participaram da reunião diretores técnicos de Itaipu, representante do Governo do Paraná e prefeitos e secretários das cidades da Amop.

.
Em busca de autonomia – 
No Brasil, apenas em 2016, nasceram 24 mil bebês de meninas de até 14 anos e 477 mil filhos de mães com idade entre 15 e 19 anos. Quando olhamos mais de perto este grupo, identificamos algumas características comuns. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de cada dez meninas de 15 a 19 anos grávidas ou com filhos, sete são negras e seis não trabalham nem estudam.
O propósito da ação é contribuir para que jovens, além de exercerem seus direitos sexuais e reprodutivos com segurança, possam conquistar habilidades de vida e competências para o desenvolvimento de seus plenos potenciais.
“Mães adolescentes acabam muitas vezes exercendo menos direitos básicos, como educação, saúde, lazer e trabalho. Quando adultas, acabam com mais dificuldade para entrar no mercado de trabalho remunerado e conseguir autonomia”, disse Jaime Nadal.
“Com esta parceria, queremos que ter filhos seja um escolha consciente e informada, e que tanto meninos quanto meninas tenham acesso ao planejamento de seu futuro, com igualdade de oportunidades.”

_______________________________
(Itaipu Binacional)

Arquivos

Categorias

Meta