Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Seguia sempre…

Um poema de Mário Quintana.
Uma fotografia de Áurea Cunha.
“Alvorecer em San Alberto”, fotografia de Áurea Cunha.
Cenário paraguaio às quatro da manhã
.

.
A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas…
Quando se vê, já é 6.ª feira…
Quando se vê, passaram 60 anos…
Agora, é tarde demais para ser reprovado…
E se me dessem – um dia – uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
seguia sempre, sempre em frente …

E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.

________________________
Mario Quintana (1906-1994), em Poesia Completa.
Áurea Cunha, fotojornalista em Foz do Iguaçu, Pr.