Sintonia para pressa e presságio, poema de Paulo Leminski

Ilustração de Anna Karenina (*)

 

.
Escrevia no espaço.
Hoje, grafo no tempo,
na pele, na palma, na pétala,
luz do momento.
Soo na dúvida que separa
o silêncio de quem grita
do escândalo que cala,
no tempo, distância, praça,
que a pausa, asa, leva
para ir do percalço ao espasmo.

Eis a voz, eis o deus, eis a fala,
eis que a luz se acendeu na casa
e não cabe mais na sala.

(*) Anna Karenina é estudante de arquitetura, desenhista autodidata, transita entre as cidades de Laguna (SC), Cascavel e Foz do Iguaçu (PR).
Paulo Leminski (1944-1989), poeta, ensaísta, tradutor paranaense.