Sou palhaço

 –  Um toque de João Batista de Andrade, o ‘Muamba’  –  

joao-andrade-palhaco
Dizem que você não se torna palhaço, você já nasce sendo um palhaço. Comecei a acreditar nessas historias desde o momento que minha me disse que eu nasci com as bochechas que pareciam duas maças vermelhas brilhantes; e que eu era tão branco e fofo que todas as enfermeiras do hospital queriam segurar no colo
Pois foi assim o início. E desde lá, mesmo ser saber, a minha natureza era estar envolvido em algo brincante. Na escola meu apelido era Zuão, pois sempre estava zoando e fazendo algo que me levava à diretoria e, novamente, as bochechas vermelhas.
Tentei um monte de profissão na vida. Fui vendedor, empresário, garçom, muambeiro e, por fim, desempregado: a profissão que mais me perseguia. Nessa época, a coisa tava feia. Eu andava a pé para economizar a grana da passagem.
Um dia, uma amiga me convidou para ir no Circo com ela. Expliquei que eu não tinha nem para a pipoca e minha amiga, num nobre gesto, me pagou entrada. Aliás, entrada, refrigerante e pipoca, uma maravilha de show, boas risadas e muita diversão.
Na saída do circo, eu disse pra ela que gostava muito do trabalho de palhaço, e que até me imaginava nos picadeiros da vida. Ela, como amiga e lindota que é, me disse que eu já era um palhaço.
No outro dia larguei tudo e fui ser um. Minha família pirou, pois me diziam que ser palhaço não era profissão de gente normal. Então me peguei pensando, e agora? Foi quando minha mãe se aproximou de mim e falou: “ Filho, você não é normal, você é fenomenal”.
Com as lágrimas no rosto e o sorriso de orelha a orelha segui em diante com esta profissão bela e digna que me leva e traz a lugares e sabedorias. E com amor e alegria vou seguindo sendo palhaço, cada dia, nesse dia a dia, bem longe do cotidiano e da monotonia.
Agora sei que todos somos um pouco palhaços por dentro. E para aqueles que ainda não se descobriram como tal, escutem a voz do coração. Pois, além dos tostões, existem os sapatões, que fazem tanta gente sorrir desde os altos escalões até os que andam de pés no chão.
Venha com a gente nessa enorme gratidão!


 
João Batista de Andrade –  o palhaço ‘Muamba’ – é membro fundador da Troupe Luz da Lua, assistente social e arte educador em Foz do Iguaçu, Pr. O texto foi publicado originalmente na revista Escrita, edição 45.
 

Arquivos

Categorias

Meta