Suburbana Eternidade

Um poema de Fábio Campana

A mãe espana o pó
da pequena eternidade
que construiu com
as quinquilharias baratas,
metais, ferrugens, plumas,
retratos anônimos,
postais tristes de amor
enviados da Europa
para pessoas e endereços
que só ela reconhece

Na parede da sala escura
um quadro desbotado
pinheiros sob um pálido por do sol suburbano

___________________________
Fábio Campana é escritor, poeta, jornalista e editor em Curitiba, Pr. O poema acima faz parte do livro “As Coisas Simples”. Foi publicado na revista Escrita 53

Arquivos

Categorias

Meta