Tanto Mar, uma letra de Chico Buarque para a “Revolução dos Cravos”

Letra de Chico Buarque homenageia o movimento de 25 de abril de 1974 em Portugal, que ficou conhecido como a Revolução dos Cravos.

PRIMEIRA VERSÃO (1975)*

Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim
Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor do teu jardim
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim
https://www.youtube.com/watch?v=hdvheuHhF2U

SEGUNDA VERSÃO (1978)*

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim
Autoria de Chico Buarque, compositor e escritor brasileiro