Ampulheta

  –  Um poema e uma fotografia de Patrícia Iunovich  –

 

 

Costurei um tecido de lembranças,

Coisa de criança que cresceu

E trouxe semblante de moça

Idade de quem nunca envelheceu

Trapaça. Fui seduzida pelo tempo

Da ampulheta forjada. Arrematada de porcelana

Comprada num ateliê qualquer.

De quem paga. De quem busca

Não morrer. A plástica não escondeu.

Nem preencheu o vazio que transbordava

da ânsia de aprender. A viver.
_______________________________________________
Patrícia Iunovich é jornalista e escritora em Foz do Iguaçu, Pr.

Arquivos

Categorias

Meta