Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

UFOPr: a Unila vai para espaço? Parte II

  –  Comunidade acadêmica é contra proposta que muda o perfil da universidade  –  

A comunidade acadêmica e representantes de organizações sociais de Foz do Iguaçu lançaram o “Movimento em Defesa da UNILA”. A primeira iniciativa é uma petição pública endereçada ao Congresso Nacional, que pede a supressão da emenda do deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR). A proposta propõe a conversão da Universidade da Integração Latino-Americana em UFOPR.
Acesse o abaixo-assinado virtual, clicando aqui.

 

Abaixo, mais informações sobre o assunto. A justificativa do deputado, os argumentos de resistência do movimento e um histórico sobre a Unila, seu projeto inovador e sua relação com a cidade de Foz do Iguaçu.

A reitoria da UNILA (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) emitiu nota em que posiciona-se contra a proposta que pretende transformar a instituição em UFOPR (Universidade Federal do Oeste do Paraná). A mudança é defendida pelo deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR), por meio de emenda aditiva à Medida Provisória nº 785/2017.
O deputado de Curitiba propõe a conversão da UNILA e de seu projeto original, que concebe uma universidade voltada para a integração entre os países da América Latina, em uma instituição de ensino superior de características regionais. A emenda legislatvia de Sérgio Souza inclui consulta aos campi de Toledo e de Palotina da Universidade Federal do Paraná sobre o interesse em integrar a UFOPR.
No comunicado público, os gestores da UNILA posicionam-se contra as mudanças no papel institucional da universidade. “A equipe da Reitoria posiciona-se enfaticamente pela supressão da referida emenda aditiva e está tomando as providências necessárias para garantir a manutenção da lei de criação da UNILA em sua integridade e em defesa de sua identidade”, expõe a nota.
Os dirigentes da Universidade da Integração Latino-Americana ressaltam, também, que a proposta do deputado Sérgio de Souza surgiu durante tramitação de normativa que tratatou de outro tema da área educacional. “A emenda [ ] foi apresentada no processo de aprovação legislativa de medida provisória que trata de outro assunto (financiamento estudantil)”, esclarece a reitoria da UNILA.
 
Justificativa
O peemedebista Sérgio Souza justifica seu projeto citando a expansão econômica do Oeste do Paraná, principalmente de cooperativas, indústrias e do turismo. O parlamentar destaca o baixo IDH de alguns municípios da região e defende que recentemente ocorreu redução da população de jovens entre 18 e 24 anos na região, decorrente da busca por educação e emprego.
“Assim, novos cursos de graduação – concatenados com as características econômicas e sociais da região – certamente despertarão não só o interesse da sociedade mas também promoverá o desenvolvimento social e distribuição de renda nas regiões Oeste e Noroeste do Estado do Paraná, como também das regiões sul do Estado do Mato Grosso do Sul e leste do Paraguai”, defende o deputado.
 
Comunidade reage à proposta
Assim que foram difundidas as informações sobre a proposta do deputado Sérgio Souza, a comunidade acadêmica da UNILA e representantes de organizações sociais de Foz do Iguaçu lançaram o “Movimento em Defesa da UNILA”. A primeira iniciativa é uma petição pública endereçada ao Congresso Nacional pela supressão da Emenda Aditiva à Medida Provisória nº 785/2017.
“Nosso movimento tem o objetivo de defender a manutenção da Lei de Criação da UNILA, sua identidade original e sua missão, que é formar sujeitos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina”, diz a apresentação do abaixo-assinado virtual. Qualquer pessoa pode apoiar a petição, que pode ser acessada clicando aqui.
 
Clique e veja manifestações escritas contra a proposta de conversão da Unila
 
Histórico
A UNILA foi criada pela Lei nº 12.189, de janeiro de 2010, para atuar nas regiões de fronteira, fomentando o intercâmbio e a cooperação entre os países do Mercosul (Mercado Comum do Sul) e da América Latina. Seu objetivo é oferecer ensino superior público e gratuito, produzir pesquisa e extensão universitária voltados para o desenvolvimento, o intercâmbio cultural, científico e educacional entre os povos e nações.
Os números do início de 2017, quando a universidade completou 7 anos, mostram que instituição mantinha 2.722 alunos matriculados, 29 cursos de graduação, 8 oito mestrados e 1 doutorado. Além de brasileiros, a comunidade acadêmica da UNILA é formada por estudantes e professores de 16 países da América Latina, Central e do Caribe, diversidade que contribui para o fortalecimento do papel integrador.
Clique aqui e leia também: “A Unila é de Foz do Iguaçu”
_____________________
H2Foz/Paulo Bogler
 

Arquivos

Categorias

Meta