Um Café de domingo

  –  Uma crônica de Valentina Virgínio  –  


O Café com Teatro é a tradição mais bonita dessa cidade. Sempre aos domingos, sempre entre grandes amigos. eu fico pensando: bons papos tem sempre uma grande história pra conduzir. E neste caso o causo é um bom evento.
Ao longo dos anos o Café vem escrevendo sua história. A festa em família do início ficou tão grande que hoje é o ponto de encontro e um dos acontecimentos culturais mais aguardado de Foz do Iguaçu. Já faz um tempinho que faze-lo é resgatar um compromisso com um público fiel e crescente. Nós somos cobrados a realizar mais uma a cada edição que termina. Risos. Sem querer inventar, é como se fosse um grande carrossel. Começa onde termina. E dá um friozinho na barriga o tamanho da responsabilidade. Mas também dá orgulho e principalmente gera mais amor pelas artes saber que o próximo tem sempre de ser tão ou mais legal que o anterior.
Eu vi o Café com Teatro nascer e convivi também com seu crescimento. Parece que foi ontem. E é isso que faz com que fique a cada dia mais grata ao público, pois o verdadeiro show quem dá é ele. As pessoas que prestigiam são nossos parceiros, como gosto de falar. Nesses anos tem uma cumplicidade boa que foi acontecendo entre os organizadores, os artistas e as pessoas que nos prestigiam. Assim como eu, tem gente que está conosco prestigiando desde o primeirinho Café. Uma fidelidade ao nosso trabalho. A maior recompensa, diga-se de passagem, ao que é feito com muito esmero.
Nossa equipe super reduzida se agiganta para ultrapassar nossos limites e erros. O único que conta ao final, é uma dedicação tremenda ao compromisso assumido com a arte. Neste ponto, sem querer brilho extra, tenho de dizer que herdei da minha família não só o evento mais legal da cidade, mas também o comprometimento com a arte e suas expressões.
É fato. O Café com Teatro é uma mistura de resistência, amor de família (ampliada a todo momento por gente que carrega no sangue a mesma febre de ser amigo da cultura) e, claro, com o que há de variações nas artes da cidade e região. As diversas expressões e linguagens tem espaço na nossa festa e tem sido a receita para estarmos cada dia mais resolvidos a fazer, uma por uma, as edições do Café ter gostinho bom de quero mais.

Pois então. Esta edição, no próximo domingo, dia 9, também traz novas ideias e novos ares. Desde já adianto que está nos planos de ampliar e deixar o Café ainda mais bacana. O que se pode adiantar para a semana é que as expressões urbanas, como o hip-hop, o skate, os dj’s, vão ter seu espaço ainda mais caprichado do que nas anteriores. Nossos parceiros do coletivo Banca 16, por exemplo, vão trazer aos palcos do Café a sua roda de freestyle, onde a galera se reúne para batalhar através das rimas e que está conquistando a cidade.
Numa outra direção, diretamente do Paraguai, contaremos com Kirtan Yoga, com um demostração das suas práticas cotidianas trazendo para festa toda a paz e um pouco do conhecimento da filosofia oriental. Essa integração geográfica continua e se estende até a talentosíssima Tays Villaca, com sua “Banda de uma preta só”, vindo de Cascavel para somar em nossa Casa. Tays interpreta e compõe música brasileira influenciada pela cultura africana, da percussão aos beats eletrônicos, e um flerte inevitável com o rap.
O café do dia 09 tem mesmo “textão”. Não é à toa. Afinal, tem atração para todos os gostos e idades. É uma lista interminável de afetos e expressões de carinho pela arte e através da arte. A “Brincaderia-Show” e a “Troupe Luz da Lua”, por exemplo, preparam alguns números circenses mais do que especiais para a festa enquanto a papelada literária da Guatá estará passando de mão em mão.
E se tem pluralidade nas linguagens e na ferramenta que se usa para elas, é claro que nossos palcos vão estar apinhados de música. Entre as tantas atrações dessa área, pinço a banda “Los Trovadores”, composta por estudantes da Unila. Outra boa lembrança é que o Centro de cultura Popular de Foz do Iguaçu carimba seu projeto e traz muito maracatu para a  festa com um convidado especial para a noite. O batuqueiro Edney Silva, da Nação Porto Rico, vem do Recife para somar forças, com os tambores da fronteira.
Enfim, poderia passar a semana descrevendo a lista de apresentações. Mas como o Café com Teatro já é domingo, a gente resolve isso convidando a todos a verem  com os próprios olhos. E isso tudo somado a uma verdadeira feira com muita comida, artesanato e gente com suas belezas únicas e intransferíveis.
Café com Teatro
Dia 09 de abril
A partir das 17 horas
Local: Teatro Barracão (Praça Da Bíblia)
Entrada:R$10,00
Mais de Café com Teatro, inclusive programação completa, clique aqui
___________________
Valentina Virgínio é estudante de Geografia, educadora municipal, produtora e artista em tempo integral. Vive em Foz do Iguaçu, Pr. Fotos de Sibelle Carolina e cartaz de Lalan Bessoni 

Arquivos

Categorias

Meta