Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
Print

Viva Cultura

  –  Equador recebe congresso latino-americano de cultura comunitária  –


Entre os dias 25 e 30 de novembro, Quito, a capital do Equador, recebe representantes de Pontos de Cultura, coletivos e iniciativas culturais de base comunitária de todo o continente, durante o 3er Congreso Latinoamericano de Cultura Viva Comunitaria. Os dois encontros anteriores aconteceram na Bolívia e em El Salvador.
O congresso vai reunir sujeitos da cultura latino-americana de 18 países. Está prevista a participação de 800 pessoas e 7 caravanas internacionais. A programação terá 19 mesas abertas, 80 apresentações artísticas e 120 intervenções. O evento também terá rodas de conversas, exposições em galerias e roteiros culturais urbanos e rurais.
“Queremos que este encontro seja água que mobilize processos organizativos e terra que germine os movimentos sociais autônomos de base”, enfatizam os agentes culturais equatorianos. “Queremos que nossos territórios sejam o vento transformador que não há perdido de vista o espírito guerreiro de nossos povos ancestrais”, concluem.
O Cultura Viva – Pontos de Cultura, programa brasileiro surgido no início dos anos 2000, é referência da cultura de base comunitária na América Latina, com ênfase no empoderamento dos sujeitos sociais e na valorização da diversidade. A rede reuniu mais de 4000 entidades de todo o país, contempladas com recursos do Governo Federal, por meio de editais públicos.
Mesmo sofrendo com as dificuldades de gestão por parte do governo e a excessiva burocratização, os Pontos de Cultura conseguiram representar a produção cultural popular, indígena, quilombola, cigana, de coletivos de mulheres e do hip hop, das culturas de matriz africana, entre outras. Nos anos recentes, principalmente no Governo Temer, o programa virou alvo do desmonte.
No Paraná, os Pontos de Cultura nunca foram assumidos como políticas públicas pelo Governo do Estado e jamais receberam apoio da gestão paranaense. Em Foz do Iguaçu, 14 entidades culturais foram beneficiadas pelo projeto, por meio de editais de âmbito nacional e municipal.
Clique para ler o manifesto do 3er Congreso Latinoamericano de Cultura Viva Comunitaria
_______________________________________
Guatá/Paulo Bogler

Arquivos

Categorias

Meta