Vivendo livros

Projeto de extensão da UNILA inaugura biblioteca em Puerto Iguazú. A iniciativa “Vivendo livros latino-americanos na Tríplice Fronteira” remodelou a terceira biblioteca na região trinacional, incentivando a leitura entre os estudantes

Inauguração da biblioteca na Escuel 722, de Puerto Iguazú (Fotos: Unila)

O projeto “Vivendo livros latino-americanos na Tríplice Fronteira” expandiu o território de atuação com a criação de um novo espaço destinado a livros dos anos iniciais do ensino fundamental. Trata-se da Biblioteca Arco-íris, construída, por meio do projeto, na Escola 722, de Puerto Iguazú.

A inauguração foi no último dia 6, e contou com presença de estudantes e professores da escola, além de autoridades locais. O grupo que compõe o projeto – formado por estudantes e docentes da UNILA – também já remodelou o espaço físico de outras duas bibliotecas escolares: a da Escola Municipal Brigadeiro Antônio de Sampaio, localizada na zona rural de Foz do Iguaçu, e a da Escuela San Agustín, em Ciudad del Este.

O acervo da “Arco Íris” conta com cerca de 400 livros

A construção do espaço de leitura na escola argentina ocorreu de forma coletiva. Integrantes do projeto realizaram mutirões de limpeza, reciclagem de objetos e rifas para a compra de materiais. O projeto também recebeu doações e teve apoio da prefeitura de Puerto Iguazú, que colaborou com a mão de obra.

Uma estudante de Arquitetura da UNILA, bolsista do projeto, contribuiu com a parte técnica da construção da biblioteca, que passa a abrigar um acervo de cerca de 400 livros. Previamente à remodelação do espaço, assim como em outras escolas, houve um trabalho de organização e catálogo do acervo.

O ambiente físico das bibliotecas nas escolas é objeto de estudo do projeto, cujo um dos propósitos é avaliar de que forma o espaço bibliotecário interfere na mediação da leitura. O projeto visa, também, incentivar o interesse dos estudantes pela leitura. A iniciativa atua, ainda, na formação dos educadores por meio de sensibilização e diálogo sobre o que é literatura infantil – e como trabalhá-la no âmbito escolar – e, também, na consolidação de acervos referentes à literatura latino-americana.

“Buscamos despertar a leitura, entendendo o livro como possibilidade do lúdico, da reflexão, da fala, como fonte de discussão ética e da literariedade, sempre visando um espaço democrático de debate”, explica a docente da UNILA, Mariana Cortez, coordenadora do projeto.

Saiba mais sobre “Vivendo Livros…”, aqui.

_______________
Assessoria Unila

Arquivos

Categorias

Meta